Brasil

Funcionário ateia fogo em concessionária após levar bronca e é preso; veja vídeo

Caso aconteceu em 13 de julho; suspeito também é investigado por furto qualificado

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Um funcionário de uma concessionária de carros foi preso na última quinta-feira (1º) por colocar fogo na loja, localizada em Araçatuba, cidade do estado de São Paulo. A Polícia Civil contou ao G1 Rio Preto e Araçatuba que o crime foi feito após uma bronca que o homem levou da gerência da loja. O caso aconteceu no dia 13 de julho.

Foto: Reprodução/Câmeras de segurança

“Os gerentes falaram que tiveram problemas e de um funcionário que mudou o comportamento. Ele infringiu normas de conduta da empresa, foi chamado atenção e ele não gostou. Depois da chamada de atenção, ele mudou o comportamento”, afirmou o delegado Antônio Paulo Natal ao G1.

O funcionário é Luís Fernando Sanches Casati. Segundo o G1, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva do rapaz na Justiça. As investigações apontaram Luís Fernando como o único suspeito do crime.


De acordo com informações do G1, a polícia encontrou mais de dez cartas no dia do incêndio com a mesma mensagem, de ameaças a um gerente e a um funcionário. Apesar de parecer que teria sido feito por um cliente revoltado, a polícia descobriu que o próprio Luís Fernando teria sido o autor.

“O incendiário se fez passar por cliente na carta. Inicialmente, achamos muito óbvio ser um cliente. Os gerentes falaram que não tiveram problemas com nenhum cliente, então ficou evidenciado que o motivo não era o que estava na carta”, disse ao G1 o delegado.

O oficial ainda contou que palavras usadas na carta se assemelhavam com termos usados pelo funcionário no dia a dia de trabalho, o que facilitou a identificação. “Entrando nos e-mails profissionais dele e nas redes sociais a gente percebe que certas palavras das cartas, como ‘mequetrefe’ e ‘vide’, termos que não são usados com frequência, mas eram usados por ele. Constatamos isso nos e-mails da oficina e no Facebook em conversas com as pessoas”, afirmou Antônio Paulo ao G1.

O suspeito responde também por furto qualificado. Isso porque a polícia achou peças de carro da concessionária na casa dele dois dias depois do incêndio. Munições também foram encontradas no local.