Brasil

Funcionário da Vale trabalha em dia de folga e morre em tragédia de Brumadinho

Leonardo Alves Diniz, de 33 anos era casado, pai de um menino de 7 anos e trabalhava na empresa há mais de dez anos

Agência, O Globo

Uma das vítimas fatais da tragédia de Brumadinho é Leonardo Alves Diniz, de 33 anos. Casado e pai de um menino de 7 anos, ele morava em Sarzedo, município da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Era funcionário da Vale há mais de dez anos. Trabalhava como técnico em manutenção. Estava de folga e havia acordado para renovar a carteira de motorista quando foi convocado para fazer plantão na empresa. Até as 14h deste domingo, 16 corpos tinham sido identificados.

O corpo de Leonardo foi reconhecido no Instituto Médico Legal (IML) e será velado neste domingo, às 13h, no Cemitério Bom Jardim, em Mário Campos, cidade vizinha a Brumadinho. Segundo uma parente que não quis se identificar, Leonardo era uma pessoa correta e que "amava sem reservas". Estava prestes e se formar em administração.

Foto: Reprodução/Facebook

Vítimas Fatais

Segundo o último boletim da Defesa civil, subiu para 37 o total de corpos resgatados em Brumadinho. Um ônibus soterrado e com ocupantes mortos foi encontrado . Uma pousada foi destruída . As mortes confirmadas já superam o registrado na tragédia de Mariana, em 2015, quando houve 19 vítimas . Voluntários de Mariana estão ajudando no trabalho de busca por desaparecidos em Brumadinho. A equipe que participa de resgate afirmou que a maioria dos corpos pode nunca ser encontrada .

A 1ª vítima identificada foi a médica Marcelle Porto Cangussu, que tinha completado 35 anos no dia anterior ao rompimento da barragem .

Mirelle Porto, mãe da vítima, relatou ao GLOBO que, na noite anterior ao rompimento da barragem, a família comemorou o aniversário de Marcelle, que completou 35 anos na última quinta-feira.


Negligência

Familiares, ativistas e moradores denunciam o descaso da mineradora Vale com o atendimento e apoio aos atingidos pelo rompimento da barragem. As principais reclamações são o desencontro de informações e a falta de suporte básico. A empresa diz que já disponibilizou acomodações para mais de 800 pessoas. A Justiça determinou bloqueio de R$ 1 bilhão da Vale após rompimento de barragem. Após a tragédia em Brumadinho, o gabinete de crise do governo federal recomendou vistoria em todas as barragens do país .