Brasil

Funcionário morre enquanto trabalhava em supermercado e corpo é coberto por guarda-sóis

Empreendimento permaneceu aberto; o caso aconteceu em Recife

Redação iBahia (redacao@portalibaia.com.br)
- Atualizada em

Um representante de vendas morreu enquanto trabalhava no supermercado Carrefour localizado em Recife (PE). O corpo de homem foi coberto por guarda-sóis e tapumes improvisados e a loja continuou aberta. As informações são do G1 Pernambuco

O homem desempenhava a função de representante de uma empresa de alimentos e não era funcionário da rede de supermercados, mas estava no local a trabalho. O caso aconteceu na última sexta-feira (14), mas ganhou repercussão nas redes sociais nesta semana diante da atitude da empresa.

O Carrefour identificou o representante como Moisés Santos e, em nota enviada ao G1, afirmou que a causa da morte foi infarto.

“O homem tinha 53 anos e trabalhava como representante de uma empresa de alimentos. Ele morreu, parece que de um mal súbito, e o corpo ficou lá das 7h30 até as 11h. Ficaram esperando a chegada do IML [Instituto de Medicina Legal]",  relatou o representante Renato Barbosa, em entrevista ao G1.

Renato disse ainda ao G1 que o supermercado estava cheio no momento em que o representante faleceu. “Dava para ver o corpo e as pessoas comentaram”, disse. A área onde estava o corpo ficou isolada com uma fita.

Em resposta ao comentários nas redes sociais, a rede de supermercados Carrefour publicou três notas.

Na primeira, a empresa disse que a equipe acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) assim que o homem começou a passar mal e “seguiu todos os protocolos durante o socorro e após o falecimento”. Ela disse também que estava  
“prestando toda assistência necessária para a família, neste momento tão difícil”.

Em uma segunda nota, a rede afirmou que  “os protocolos para que as lojas sejam fechadas quando fatalidades como essa aconteçam já foram alterados”.

Já na terceira nota, o Carrefour disse que “o inesperado falecimento de Moisés Santos, vítima de um infarto, foi muito triste para nós”.