Brasil

'Gostaria que todos voltassem a trabalhar, mas quem decide não sou eu', diz Bolsonaro

O presidente comentou também que 'brevemente' o país voltará ao normal

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )
- Atualizada em

O presidente Jair Bolsonaro em recado sobre o Dia do Trabalhador, comemorado nesta sexta-feira (1), disse que gostaria que todos os brasileiros voltassem a trabalhar, mas que isso depende dos governadores e prefeitos. Segundo o site Extra, o presidente comentou também que 'brevemente' o país voltará ao normal. 

A declaração de Bolsonaro foi dada durante uma transmissão ao vivo da deputada Bia Kicis (PSL-DF), que visitou o Palácio do Alvorada com um grupo de 20 pessoas. De acordo com ela, são agricultores que foram agradecer Bolsonaro por "todo esforço" em favor do agronegócio.

"Eu gostaria que todos voltassem a trabalhar, mas quem decide isso não sou eu, são os governadores e prefeitos. O Brasil é um país maravilhoso. Eu tenho certeza, que (com) Deus acima de tudo, brevemente voltaremos na normalidade ", completou Bolsonaro.

Nesta quinta-feira (30), o ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que a orientação da pasta continua sendo o distanciamento social e que não há uma intenção de flexibilizar as regras. Em entrevista, ele relatou ainda estar preocupado com a polarização política em torno da adoção ou não de medidas sobre o isolamento.

A declaração foi feita após ser questionado sobre número de mortos pela doença estar perto de 6 mil, o ministério alteraria a orientação para o distanciamento social. "O número de mortes adicional é muito triste. Mas não é porque eu tenho uma alteração nesse número de mortes. A política não é em função disso. Temos uma definição clara: o distanciamento permanece como orientação", afirmou o ministro.