Brasil

Governo lança calculadora para simular aposentadoria do setor privado; faça os cálculos

Cálculo é feito com base nas novas regras propostas e só vale para trabalhadores urbanos da iniciativa privada

Agência O Globo


O governo federal lançou uma calculadora para simular aposentadoria, no endereço, com base nas regras propostas no texto original enviado ao Congresso Nacional (sem qualquer alteração proposta pelo relator Samuel Moreira nas regras de transição).

Foto: Reprodução/Internet

Por enquanto, existe apenas a possibilidade de simulação para trabalhadores da iniciativa privada urbanos. Servidores públicos, professores e trabalhadores rurais ainda terão que esperar a ampliação da ferramenta.

Primeiro, é preciso clicar em "Quero simular minha aposentadoria" e selecionar o sexo. Depois, é necessário informar a data de nascimento e selecionar "Privado", além de "Trabalhador(a) urbano".

Por fim, exige-se que o trabalhar informe seu tempo de contribuição ao INSS, em anos e meses.

Como resultado, a calculadora apresenta duas simulações: pela nova regra ou pela regra de transição. Dependendo do caso, as duas podem apresentar resultados iguais.

Ali são informados o mês e o ano em que a pessoa poderá se aposentar, o tempo que falta para a aposentadoria, a idade para requerer e o percentual que vai receber de benefício (de acordo com a idade e o tempo de contribuição).

Outra calculadora para quem ainda trabalha


Em abril, o governo federal lançou no mesmo Portal de Serviços uma calculadora que permite tanto aos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), quanto aos servidores, descobrir de quanto será sua contribuição mensal para seu regime de Previdência (RGPS ou RPPS).

Nesta calculadora, o segurado deve informar se é servidor público federal (Poder Executivo, Legislativo ou Judiciário da União) ou filiado ao INSS (empregado, doméstico, trabalhador avulso). Também é necessário indicar o valor do salário atual. O aplicativo, então, mostra uma comparação, revelando a contribuição do usuário pela regra atual e o novo valor de contribuição, segundo novas regras.

Hoje, são três percentuais de contribuição para o INSS estabelecidos de acordo com a faixa de renda do empregado com carteira assinada: 8%, 9% e 11% (o cálculo é feito sobre todo o salário). Mas os percentuais propostos pelo governo vão variar de 7,5% a 14%, e as alíquotas serão progressivas, ou seja, o cálculo será feito sobre cada faixa de salário, como ocorre no Imposto de Renda.

Para os servidores, haverá oito alíquotas previdenciárias, de 7,5% a 22%. Atualmente, a alíquota é de 11% para todos.

Na página da calculadora, o usuário também tem acesso ao texto da PEC 6/2019. Os serviços estão disponíveis para computador e dispositivos móveis. O aplicativo informa que a simulação não possui efeito legal nem garante o direito ao benefício.

Pensão por morte

Clique aqui
e simule qual será o valor do benefício final, considerando as novas regras para pensão por morte e, também, os novos critérios para acúmulo de pensão e aposentadoria. Esta calculadora foi desenvolvida pelo Globo.