Brasil

Haddad é condenado por chamar Edir Macedo de 'charlatão'

Ex-presidenciável vai recorrer a decisão

Agência O Globo

O candidato derrotado do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, foi condenado pela Justiça a indenizar em R$ 79.182 o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal, por tê-lo chamado de representante do "fundamentalismo charlatão", durante o segundo turno da disputa eleitoral contra Jair Bolsonaro (PSL).

Haddad afirmou que pretende recorrer da sentença do juiz Marco Antonio Botto Muscari, da 6ª Vara Cível de São Paulo. No dia 12 de outubro, depois de participar de uma missa na Zona Sul de São Paulo, o petista disse, em entrevista coletiva, que Macedo fazia parte do projeto político de Bolsonaro.

- Sabe o que é o Bolsonaro? Ele é o casamento de um neoliberalismo desalmado, representado pelo (economista) Paulo Guedes, que corta direitos trabalhistas e sociais, com um fundamentalismo charlatão do Edir Macedo. Sabe o que está por trás dessa aliança? Em latim chama "Auri sacra fames", fome de dinheiro. Só pensam em dinheiro - afirmou Haddad.

Na sentença, o magistrado destaca que o líder da Igreja Universal foi absolvido no passado de acusações de charlatanismo e que Haddad conhece as normas jurídicas por ser formado em Direito no Largo São Francisco da USP. "Conhecedor privilegiado das normas jurídicas do País, porquanto estudou na mais tradicional faculdade de Direito brasileira, o réu obviamente sabe que acusações passadas de 'charlatanismo, estelionato e curandeirismo', seguidas de absolvição, apenas reforçam a presunção constitucional de inocência do bispo Macedo. Ou será que Fernando Haddad se julga no direito de, após decreto absolutório, insistir em que o líder religioso pratica, sim, 'charlatanismo'?", escreve o juiz.

Também destaca que Haddad não nega a declaração e ainda deu maior visibilidade para a sua fala ao postar a entrevista nas redes sociais. "Será que um bacharel, mestre e doutor pela USP, ex-prefeito da maior cidade do País e que chega ao 2º turno da eleição presidencial com 31 milhões de votos imagina que chamar líder religioso de charlatão e faminto por dinheiro não é conduta capaz de ofender o patrimônio ideal do conhecido bispo? Será que, na ótica de Fernando Haddad, pessoas politicamente expostas estão sujeitas a todo tipo de crítica, mesmo que mirem no que há de crucial em suas crenças e profissões? Resposta óbvia: não e não."

Ainda na sentença,o juiz diz que Macedo pretende doar o dinheiro que vier a receber na ação para uma instituição de caridade.

Já Haddad afirmou que o juiz ignorou vídeos em que Macedo aparece pedindo dízimo a fiéis. "A defesa de Fernando Haddad pretende recorrer da sentença e lamenta profundamente que o juiz não tenha analisado os vídeos anexados a defesa, que mostravam o bispo Edir Macedo empenhado em conquistar o dízimo dos fiéis."