Brasil

Homem confessa ter matado travesti esganada após relação sexual

O corpo de Ronaldo Antônio Gonçalves, de 46 anos, foi encontrado com marcas de agressão, sem roupas e coberto por um lençol

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um homem de 30 anos, identificado como Jales Pires Borges Filho, foi preso suspeito de matar uma travesti após eles terem relações sexuais. O crime aconteceu em Goiânia. De acordo com informações do G1 Goiás, o corpo de Ronaldo Antônio Gonçalves, de 46 anos, foi encontrado com marcas de agressão, sem roupas e coberto por um lençol, no dia 6 de outubro.

O delegado Francisco Costa, responsável pelo caso, contou que os dois ingeriram bebidas alcoólicas e mantiveram relações sexuais, mas teriam brigado porque Jales queria ir embora, e a vítima não deixou. O delegado também informou que Jales, que é dependente químico de cocaína, confessou ter matado a vítima.

Foto: reprodução
“Eles foram para o quarto, continuaram bebendo e usando drogas. Depois mantiveram relações sexuais. Na madrugada, quando Jales disse que iria embora, Rony não quis deixar. O pintor, então, começou a agredir a vítima com vários socos até que ela caísse no chão. Em seguida, montou sobre ela e a enforcou. Ele também colocou a vítima nua sobre a cama, cobriu com um lençol e fugiu pulando os muros”, explicou Francisco Costa ao G1 Go.

O suspeito se apresentou à polícia na última quinta-feira (10), mas não sabia que contra ele já havia um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. O termo foi cumprido e ele ficou preso.

Ainda segundo informações do G1 Goiás, Jales e a vítima se conheciam há cerca de três meses e já haviam tido relações sexuais antes do acontecido. Jales Pires é casado e sua esposa está grávida de seis meses.

O suspeito está preso temporariamente por 30 dias, mas a polícia explicou que vai pedir conversão para prisão preventiva. Jales responde por homicídio qualificado, a pena pode chegar a 30 anos.