Brasil

Homem é executado por policiais mesmo após ser rendido

O caso foi registrado como se tivesse ocorrido confronto entre as partes; o ação dos agentes está sendo avaliada e o caso pode parar na Corregedoria da Policia Civil do Rio de Janeiro

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Mais um caso polêmico envolve a polícia do Rio de Janeiro. Desta vez, no Morro do Banco, em Itanhangá, um homem foi morto a tiros mesmo após rendido por policias da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que ainda registraram o ocorrido como homicídio com intervenção policial, ou seja, quando existe confronto. A ação foi gravada por um morador, que enviou o material para o Extra On line. As imagens estão sendo analisadas pelo delegado titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), Mario Luiz da Silva, responsável pela investigação.

O caso ocorreu na manhã do dia 23 de maio, quando Alysson Fernando Silva de Lima passava pela rua Rua da Miralva e foi rendido pelos policiais. Nas imagens, Alysson, que tinha antecedentes criminais, aparece de mãos para cima e, em seguida, recebe dois tiros de fuzil e cai, em frente ao mercadinho do local. 

Em nota, a assessoria da Policia Civil do Rio divulgou que a conduta dos policiais será avaliada e, "se for constatada transgressão dos agentes", o caso será encaminhado para a Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol), após a investigação. Três dos policiais que participaram da ação já foram ouvidos em depoimento e tiveram suas armas apreendidas.   

No registro do caso consta também a informação de que Alysson carregava uma pistola, dois estojos, R$ 70 reais em dinheiro, 75 cápsulas de cocaína, 16 gramas de maconha e uma bolsa com roupas.