Brasil

Homem é preso após se prostituir e reclamar de calote à polícia

Ele foi contratado por um brasileiro, casado com um suíço

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Um homem de 26 anos foi preso na última quinta-feira (31) após reclamar de não ter recebido o pagamento após um programa que fez com um casal no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro (RJ). Segundo o jornal O Dia, ele já tinha um mandado de prisão ativo por não pagar pensão ao filho de seis anos. Ele deve um total de R$ 12 mil.

O rapaz, que usa o nome Felipe nos programas, contou ao O Dia que é paulistano e que foi ao Rio de Janeiro para ganhar dinheiro. "Sou casado, minha esposa sabe o que eu faço. Por conta da crise financeira passei a me prostituir. Pago minha faculdade, meu apartamento e tento ajudar o meu filho. Eu paguei parte da pensão para a mãe dele, mas a justiça ainda não deu a baixa no mandado", disse. Ele ainda contou que ganha de R$ 10 mil a R$ 15 mil por mês com a atividade.



Felipe ainda contou ao jornal o Dia que caiu em uma armadilha feita por um brasileiro casado com um suíço. "Ele me propôs uma fantasia sexual com o marido: não contou ao suíço, milionário, que eu sou garoto de programa. Na sauna, então, nos encontramos e fomos para a cobertura. Eles consumiram drogas e eu fiz o serviço, transando com o suíço até 4 horas da manhã", afirmou o rapaz.

Após esse primeiro dia, Felipe foi chamado pelo brasileiro para um motel. Lá, os dois permaneceram juntos por algumas horas e o brasileiro não teria feito o pagamento. "O programa inicial que a gente tinha combinado era de R$ 350. Já estava em R$ 5 mil e ele disse que não iria pagar. Começou a escrever no Whatsapp que eu estava ameaçando, que eu tinha invadido o apartamento dele, e que iria chamar a polícia. Disse: vamos na polícia", contou o homem ao jornal O Dia.

Com a confusão, os dois foram à delegacia contar sobre o caso. Após acordo com o suíço, eles decidiram não fazer registro da ocorrência, mas o homem acabou preso pelo mandado anterior, aberto desde fevereiro.