Brasil

Homem é preso suspeito de estuprar e roubar mulheres usando app de relacionamento

Ele atraía mulheres para um encontro

Rafael Nascimento, da Agência O Globo
- Atualizada em

Ele agia de forma semelhante: com um perfil falso em sites de relacionamento, atraía mulheres para um encontro. Ao chegarem ao local combinado, as vítimas eram surpreendidas: percebiam que quem as esperavam não era a mesma pessoa. O homem, porém, obrigava as mulheres mulheres a em seu carro, antes de estuprá-las e ainda roubar seus pertences, com uso de truculência e portando até arma de fogo.

Os crimes ocorreram em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, mesmo município onde o suspeito, de 40 anos, foi capturado pela Polícia Civil. A prisão foi realizada na última sexta-feira por agentes da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) da cidade, mas só foi divulgada nesta segunda-feira.

De acordo com a polícia, contra ele foi cumprido um mandado de prisão temporária. Isso após ao menos três vítimas terem reconhecido o suspeito. No momento de sua prisão, ele estava em um supermercado acompanhado da mulher no bairro Nova Cidade, quando foi surpreendido pelos agentes.

Foto: Reprodução/Polícia Civil
Segundo a delegada Débora Ferreira Rodrigues, da Deam São Gonçalo, ele, além de abusar sexualmente, agredia as vítimas:

— Elas saíam bastante machucadas. Levavam chutes, socos, eram trancandas no veículo dele (do suspeito). A violência era tanta que será necessária a realização de uma cirurgia reparadora nas partes íntimas de uma das vítimas — afirmou a delegada.

A polícia busca pelo autor dos crimes há alguns meses. Durante as investigações, os agentes reuniram as informações dadas pelas vítimas até que fosse possível localizar o suspeito e o veículo utilizado por ele — os policiais identificaram a mesma forma de atuação. Os crimes eram praticados em ruas escuras e desertas da região.

Posteriormente, as mulheres reconheceram o suspeito como autor dos estupros e dos roubos. Além disso, no momento em que foi preso, o homem estava com o aparelho celular que pertencia a uma das mulheres atacadas por ele.

O suspeito nega as acusações e alegou que só falará em juízo, acrescentou a Polícia Civil.



Para a Polícia Civil, o número de vítimas pode ser ainda maior:

— Acredito que muitas mulheres acabam não denunciando por vergonha. Mas é importante denunciar, elas são vítimas. Ele que é o criminoso — completou a delegada.