Brasil

Homem é preso suspeito de torturar e matar cachorro de ex-mulher por não aceitar término

Ele cumpria pena em regime semiaberto por homicídio

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um homem foi preso neste sábado (5) suspeito de torturar e matar cachorro de estimação da ex-mulher por não aceitar o término do casamento. Ele cumpria pena em regime semiaberto por homicídio. As informações são do G1 Mato Grosso.

Pingo, como era chamado, tinha 8 meses (Foto: Arquivo Pessoal)
De acordo com Gilvanusia Alcina de Souza, de 38 anos, que denunciou o caso à polícia, Aliandro de Ramos já havia dito que mataria o cão se ela não aceitasse reatar o relacionamento.

Em entrevista ao G1, Gilvanusia contou que presenciou o ex-marido ingerindo etanol e ficou com medo, pois alguns dias antes havia pedido a separação e ele não tinha aceitado o término. O casal estava junto há três anos.

"Como eu tinha falado que queria a separação, ele já tinha me ameaçado e disse que não sairia de casa. Quando vi que ele estava bebendo álcool de posto, nem esperei que chegasse perto de mim, peguei a moto e fui para a casa da minha mãe", disse ao G1.
Aliando de Ramos cumpria pena de regime semiaberto por homicídio (Foto: Arquivo Pessoal)
De acordo com Gilvanusia, ele ligou para ela para ameaça-la e disse disse que mataria o cachorro se ela não retornasse para casa. Ela falou para ele que já tinha ligado para a polícia.

De acordo com a polícia, o animal já estava sem vida quando os policiais chegaram na casa.


Gilvanisia acha que o cachorro, que chegou a ser levado ao veterinário, foi arremessado contra a parede e, em seguida, foi estrangulado. Pingo, como era chamado, tinha oito meses de vida.

"Ele estava todo mole e a cabeça não parava. Eu chamei por ele, o abracei, mas ele não reagiu", lamentou.