Brasil

Homem morre dentro de cela da Delegacia da Mulher em Goiânia

Vítima foi presa por suspeita de sequestro e agressão à ex-companheira.

Do G1

Um professor de artes marciais de 38 anos morreu neste domingo (1º) em uma cela da Delegacia da Mulher de Goiânia (Deam). As circunstâncias da morte ainda não estão esclarecidas e o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios da capital. Segundo informações da polícia, o homem foi preso suspeito de ter ameaçado com arma de fogo, sequestrado e agredido a ex-companheira, uma costureira de 29 anos, de quem estava separado há cinco meses.


Num momento de descuido, o suspeito deixou a munição cair e se abaixou para pegá-la. A mulher aproveitou a oportunidade para fugir e pedir ajuda aos vizinhos, que chamaram a Polícia Militar (PM). De acordo com a polícia, os homens da PM se posicionaram do lado de fora da casa e chamaram pelo suspeito que não abriu a porta. Pouco tempo depois, a costureira reconheceu o ex-companheiro, que havia trocado de roupa. A polícia teria dado ordem de prisão e o homem correu, fugindo pelo telhado. Segundo a polícia, o suspeito estava com uma arma na cintura e um dos PMs teria atirado uma vez e acertado a panturrilha do suspeito, que continuou fugindo. Nesse momento, o Corpo de Bombeiros teria sido acionado para prestar socorro. Algum tempo depois, o suspeito foi encontrado em um lote cheio de plantas e levado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Depois de liberado, o homem foi levado à Delegacia da Mulher para registrar o flagrante. Após constatar a morte do homem na cela, o Instituto Médico Legal (IML) foi chamado para apurar a causa da morte.


Sequestro

A mulher teria sido capturada quando estava em um ponto de ônibus. O suspeito teria se aproximado em um veículo e a ameaçado a ex. A costureira, que mora no Setor Palmares, em Trindade, Região Metropolitana de Goiânia, foi levada, sob ameaça de arma de fogo, à casa do suposto agressor, no Jardim Primavera, em Goiânia. De acordo com a polícia, no local, a mulher teria sido colocada sentada em uma cadeira e o professor teria se posicionado em outra cadeira, na frente dela. Em depoimento, a costureira teria informado a polícia que foi agredida com tapas no rosto, agressão moral e sofrido ameaças de morte.


Conforme a polícia, o suspeito, que aparentava embriaguez, teria dito que mataria a mãe da ex-companheira e outros membros da sua família. A polícia informou que a mulher de 29 anos manteve um relacionamento de três anos com o homem e durante todo esse tempo ele demonstrou ciúme e tinha temperamento agressivo. Ainda segundo a polícia, o homem já fazia ameaças a então companheira e usava arma de fogo. A polícia diz que a mulher chegou a registrar uma ocorrência contra o então parceiro, no município de Trindade.