Brasil

Homem se passa por padre e aplica golpe em família para anular casamento

Ele também alegou ter distúrbio mental e traumas de infância, como a morte violenta de seu pai

Audryn Karolyne, da Agência O Globo

Luiz França de Lima, de 25 anos, que se passou por padre e morou durante um ano e meio na casa de uma família em Seropédica, na Baixada Fluminense, afirmou em depoimento à Polícia Civil, nesta terça-feira, que sempre teve o sonho de ser sacerdote. Ele também alegou ter distúrbio mental e traumas de infância, como a morte violenta de seu pai. Lima é acusado pelas vítimas de ter aplicado um golpe de mais de R$ 100 mil na família, que pretendia anular o casamento da filha. Ele é investigado pela 48ª DP (Seropédica).

Muito religiosos, pai, mãe e filha queriam anular o matrimônio da jovem porque ela descobriu que o marido é homossexual. Com isso, o casamento acabou e o rapaz está em um relacionamento com outro homem. Para custear as despesas que Lima alegou ter com o processo de anulação, a família fez empréstimos de mais de R$ 100 mil. O falso padre solicitou dinheiro para tradução, advogados, hospedagens e passagens aéreas, alegando necessitar da verba para resolver o problema.

Em depoimento, a jovem relatou à polícia que cedeu um quarto de sua residência porque Luiz relatou que havia passado em um concurso para dar aulas na Universidade Rural do Rio, também em Seropédica, e no período de um ano e meio conseguiria uma residência funcional para morar.