Brasil

Homem tatua logo de metrô carioca com esperança de ser efetivado

Rodrigo Reis, de 26 anos, tem como sonho mesmo um dia trabalhar no metrô carioca

Agência O Globo
- Atualizada em

Pelo visto, não é só o menino Pietro, de 3 anos, que tem verdadeira paixão pelo metrô carioca. Apesar de acumular uma longa lista de experiências para seus 26 anos (serviu no Exército, foi motorista particular, fiscal de loja de material de construção e funcionário de frigorífico), Rodrigo Reis tem como sonho mesmo um dia trabalhar no metrô carioca.

No começo do ano, ele resolveu eternizar essa admiração em uma tatuagem: o desenho era a logomarca do MetrôRio, empresa que administra o metrô carioca. — As pessoas costumam tatuar o que gostam, e eu gosto do metrô — diz Rodrigo, que ficou assustado com a repercussão das imagens de sua tatuagem na internet.

Foto: Reprodução

O post foi feito pelo autor do desenho, o tatuador Fernando Neves, dono do estúdio, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele conta ter ficado incrédulo ao receber o pedido. — Quando ele me mandou a imagem eu não acreditei. Perguntei 'Você tem certeza?', e ele disse que sim. Depois apliquei o decalque, perguntei novamente, e ele confirmou — conta Fernando.

Sonho de trabalhar lá

A relação de Rodrigo com a empresa está no sonho em trabalhar lá. No ano passado, descobriu a oportunidade de uma vaga de segurança na concessionária.

Morador de Santa Cruz, Rodrigo se inscreveu no processo seletivo para um treinamento técnico. Durante seis meses, os candidatos fazem um curso e são remunerados ao longo da capacitação para vigilante, que é uma das portas de entrada na empresa. A aprovação no curso foi o que motivou a tatuagem.

— Pessoas que nunca me viram criticaram a minha atitude. Outras me elogiaram. Minha mãe veio falar comigo... Mas eu expliquei que fiz a tatuagem para celebrar a conquista de ter passado no processo seletivo do treinamento e, se Deus quiser, de ser efetivado como segurança da empresa — afirma Rodrigo.

Entretanto, Rodrigo foi desencorajado pelos amigos. — Disseram que era muito difícil, ia ter prova, dinâmica, teste físico... Mas eu me inscrevi, passei em todas as etapas e comecei o curso. Quando entrei na empresa, me apaixonei. Tem funcionário que começou como segurança, e hoje é gerente, com 20, 30 anos de casa. É isso que eu quero para a minha vida — comenta Rodrigo.

A formatura está prevista para acontecer nesta quinta, 2 de maio. A partir dessa data, ele pode ser efetivado como um agente de segurança do MetrôRio. — São pessoas muito diferentes umas das outras. Quando elas recorrem ao segurança, é porque precisam de algo importante. A gente acaba sendo um psicólogo — diz.