Brasil

Imagens do hotel onde Najila alega ter sido estuprada por Neymar são apreendidas

Segundo o jornal "L'Équipe", a investigação conduzida no Brasil agora terá elementos colhidos pelos investigadores do 1º Distrito da Polícia Judiciária (DYP) em Paris

Agência O Globo

As imagens do hotel em Paris, onde Najila Trindade Mendes afirmou ter sido estuprada pelo atacante Neymar, foram recuperadas pela polícia francesa. Segundo o jornal "L'Équipe", a investigação conduzida no Brasil agora terá elementos colhidos pelos investigadores do 1º Distrito da Polícia Judiciária (DYP) em Paris, que fizeram, discretamente, uma incursão para buscar as imagens das câmeras de vigilância do sofisticado Sofitel Arc De Triomphel, onde os dois se encontraram, no dia 15 de maio.

Legenda
A chegada e a partida de Najila do hotel foram filmadas no saguão e nos corredores também do segundo andar, onde se localiza o quarto 203, onde a brasileira ficou por três dias. De acordo com a jovem, Neymar estava alcoolizado na hora que a encontrou, por volta das 20h, no horário local, antes de ser violento e abusar dela.

Os policiais da 1ª PJ parisiense estavam agindo no âmbito de um pedido de cooperação internacional enviado pelas autoridades judiciais brasileiras, conforme a publicação. E trabalharam de forma rápida, porque as imagens são apagadas periodicamente de 15 em 15 dias.

"Essas gravações de vídeo foram rapidamente recuperadas porque são mantidas apenas por um período de quinze dias a um mês", diz uma fonte próxima ao caso ao "L'Équipe".

Sem investigação na França

As imagens poderiam determinar se o atacante se comportou de maneira anormal na chegada ou na partida do hotel. Por enquanto, nenhum esclarecimento foi feito sobre o conteúdo dessas gravações de vídeo. A polícia brasileira, encarregada da investigação, vai ficar com esses vídeos, já que nenhum procedimento judicial foi ou será aberto na França sobre o caso, ainda de acordo com o diário francês.

"Os fatos denunciados pela suposta vítima ocorreram em Paris, mas ela registrou uma queixa em São Paulo, no Brasil. Não há, portanto, razão especial para a abertura de uma investigação na França. Estas gravações de videovigilância deste hotel estão à disposição das autoridades brasileiras", disse a mesma fonte ao "L'Équipe".

Neymar também é alvo de outra investigação no Rio, por ter publicado fotos íntimas de Najila pelas redes sociais no dia 1º de junho, um dia após a jovem denunciá-lo na polícia paulistana. O jogador foi ouvido na Delegacia de Repressão aos Crimes de Internet (DRCI), na Cidade da Polícia, no dia 6 de junho, e compareceu à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), na Zona Sul de São Paulo, no dia 13.