Brasil

Incêndio atinge hospital do RJ; paciente com covid-19 morreu durante transferência

De acordo com o tenente-coronel, cerca de 200 pacientes tiveram que ser removidos da enfermaria do prédio 1.

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma paciente de 42 anos de idade morreu após ser transferida durante um incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso, localizado na capital carioca, na manhã desta terça-feira (27). A informação foi confirmada pelo diretor assistencial do hospital, Carlos Cesar Assed, que contou que ela estava com covid-19 em estado grave e chegou resgatada com vida, mas não resistiu.  As informações são do G1 Rio de Janeiro.

O corpo dos bombeiros, as chamas fora, controladas por volta das 11h30 e equipes ainda trabalham com o rescaldo. De acordo com o comandante-geral da corporação, Leandro Monteiro, o hospital não possui certificação do Corpo de Bombeiro.

"O hospital sofreu duas notificações, depois o procedimento e dois autos de infração e agora estamos em um processo de interdição. Estamos trabalhando em conjunto para que esse processo não seja finalizado. É humanamente impossível interditar um hospital com 400 leitos", disse Monteiro.

O porta-voz da corporação, Lauro Botto afirmou que o Prédio 1 "estava todo comprometido com chamas e fumaça".

"Conseguimos evacuar os pacientes antes que o fogo e a fumaça chegassem à enfermaria", disse Botto ao G1.

De acordo com o tenente-coronel, cerca de 200 pacientes tiveram que ser removidos da enfermaria do prédio 1. Cerca de 170 foram alocados em outros prédios do próprio hospital. Outros 25, em estado mais grave, tiveram que ser transferidos para outras oito unidades hospitalares da cidade. Dos pacientes transferidos, oito estão com covid-19.

De acordo com a TV Globo, a prioridade do corpo do bombeiros era resfriar a ala para evitar que os cilindros de oxigênio explodissem e alastrassem o fogo para outras áreas.

Aproximadamente 200 pacientes foram transferidos para áreas do próprio complexo hospitalar e uma parte aguardava embaixo de uma árvore. Outra parte foi levada para um pátio de um loja de serviço automobilístico.

Havia quem estivesse internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), quem estivesse entubado e ainda haviam pessoas com covid-19.

Até o momento, não há informações sobre feridos em decorrência do incêndio ou de vítimas de intoxicação por inalação da fumaça. Durante o trabalho de retirada dos pacientes, alguns chegaram a ser atendidos dentro de uma borracharia que fica em frente ao hospital.

Segundo o porta-voz, é preciso que a Defesa Civil faça uma avaliação do prédio atingido para saber se ele poderá ser liberado ou se ele será interditado.