Brasil

Jair Bolsonaro recebe alta médica e deixa hospital em São Paulo

Previsão é que o candidato do PSL à Presidência siga para o Rio em voo comercial

Jussara Soares e Ruan Gabriel, de Agência O Globo

O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, recebeu alta do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, no início da tarde deste sábado. Ele, que ficou internado 23 dias, não conversou com jornalistas, apenas se despediu da equipe médica, enfermeiros e deixou o local acompanhado de famliares. Pelo menos 12 carros faziam parte de sua comitiva.

O presidenciável segue para o Rio de Janeiro em um voo comercial, saindo de Congonhas, às 15h40. Havia, no entanto, uma discussão dentro da campanha para que o trajeto fosse em jatinho particular, o que não foi confirmado até o momento. Alguns eleitores de Bolsonaro acompanharam a movimentação na porta do hospital.

Pelo menos 12 agentes da Polícia Federal fizeram sua escolta até o aeroporto. Um grupo pequeno de apoiadores esteve no saguão de Congonhas para tentar encontrar o candidato. Ele, no entanto, entrou pelo saguão destinado a autoridades. Já no Rio, segundo interlocutores, a ideia é que Bolsonaro siga direto para sua casa, na Barra da Tijuca.

A saída de Bolsonaro acontece no mesmo dia em que vários atos contra o candidato estão sendo organizados no país. A manifestação é organizada por grupos de mulheres contrárias ao presidenciável.

Não há previsão para que Bolsonaro participe de eventos públicos neste final de semana. Seus aliados, no entanto, fazem suspense sobre uma possível agenda de compromissos para os próximos dias.

– Não há previsão sequer de ele falar com a imprensa, mas vocês (jornalistas) conhecem o Bolsonaro, né? – disse Major Olímpio, presidente do PSL em São Paulo, e um dos coordenadores da campanha presidencial.

Ontem, Bolsonaro concedeu entrevista ao jornalista José Luiz Datena, no programa “Brasil Urgente”, da Bando. Sobre as eleições, ele afirmou que não aceitará resultado que não seja favorável a ele.

Bolsonaro sofreu o atentado no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora, Minas Gerais, onde fazia campanha. Adélio Bispo de Oliveira, responsável pelo ataque com faca, está preso num presídio federal em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O candidato foi transferido da Santa casa de Juiz de Fora para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, no dia seguinte à cirurgia a qual foi submetido no hospital mineiro.

Já em São Paulo, passou por outra cirurgia, segundo os médicos para descolar partes do intestino, o que fez com que Bolsonaro voltasse para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde ficou por alguns dias até voltar para o quarto. Durante a internação, recebeu familiares, apoiadores, artistas e políticos.

Também concedeu entrevistas e orientou seus aliados sobre os rumos da campanha, além de se manifestar manifestou pelas redes sociais para rebater críticas e agradecer o apoio de sua militância.