Brasil

João de Deus é condenado a 19 anos de prisão por crimes sexuais

Promotores de Justiça consideram este como o maior caso de abuso sexual já registrado no país

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

 João de Deus foi condenado a 19 anos e quatro meses por crimes sexuais contra quatro mulheres nesta quinta-feira (19). Segundo a apuração do G1 Goiás, os casos aconteceram em Abadiânia (DF) durante atendimentos espirituais. O médium está preso há um ano e nunca confessou os crimes.


Essa não é a única denúncia que ele responde. De acordo com o portal, há um mês, o médium foi condenado por posse ilegal de armas.



As acusações contra João de Deus se tornaram públicas em dezembro de  2018. Vítimas contaram no programa 'Conversa com Bial' que sofreram os abusos no local ele realizava os atendimentos, na Casa Dom Inácio de Loyola. Depois disso, o Ministério Público de Goiás construiu uma força-tarefa para receber as denúncias.

Ao G1, os promotores de justiça consideraram este como o maior caso de abuso sexual já registrado no país. “Tenho certeza que é um dos maiores casos do país, talvez do planeta, no que tange a abuso sexual”, relatou o promotor Luciano Miranda, coordenador da força-tarefa do MP-GO que investiga os crimes ao G1.

Desde quando as denúncias se tornaram públicas o MP-GO já recebeu cerca de 320 denúncias de mulheres contra João de Deus.