Brasil

Juiz dá puxão de orelha em doleira que tirou tornozeleira ao vivo em rede social

O magistrado classificou a atitude de Nelma como um "desserviço à sociedade brasileira"

Gustavo Schmitt, da Agência O Globo
- Atualizada em

O juiz Danilo Pereira Junior, da 12ª Vara da Justiça Federal, mandou intimar, nesta quinta-feira, a doleira Nelma Kodama, que transmitiu ao vivo em suas redes sociais a retirada de sua tornozeleira eletrônica. O magistrado classificou a atitude de Nelma como um "desserviço à sociedade brasileira".

Foto: Reprodução

A doleira tirou o equipamento após ser beneficiada por indulto natalino editado pelo ex-presidente Michel Temer, em dezembro de 2017. O magistrado foi enfático nas críticas em seu despacho. "A atitude, longe de perpassar pela liberdade de expressão, a todos assegurada constitucionalmente, configura inegável comportamento antiético e ofensivo à dignidade de justiça", escreveu o juiz.

Conhecida por ter sido presa com 200 mil euros na calcinha em 2014, Nelma já havia sido condenada pelo então juiz Sergio Moro, por corrupção, organização criminosa e evasão de divisas. Posteriormente, fechou acordo de delação premiada com a Lava-Jato.

Nelma cumpriu mais de três anos de prisão - entre os regimes fechado e aberto diferenciado. Atualmente, a doleira está voltada para o lançamento de um livro que deve contar sua história na Lava-Jato. Segundo Nelma, a obra será lançado pela editora Matrix. Ela é apontada como amante do doleiro Alberto Youssef.