Brasil

Ministro confirma que vereador e PM são investigados pela morte de Marielle Franco

Segundo o ministro Jungmann, o caso está ‘chegando em sua etapa final’

Karla Gamba e Cristiane Jungblut, da Agência O Globo

O ministro Raul Jungmann, da Segurança Pública, confirmou nesta quinta-feira que o vereador, o PM e o ex-PM, apontados por uma testemunha do caso Marielle, estão entre os investigados pelo assassinato da vereadora. Jungmann disse que o caso "está chegando em sua etapa final" e que em breve a investigação apresentaria resultados.

— O que eu posso dizer é que estes e outros todos são investigados e que a investigação no caso Marielle está chegando na sua etapa final. Eu acredito que em breve nós vamos ter resultados — respondeu o ministro após ser questionado por jornalistas sobre o possível envolvimento dos dois com o crime.

O ministro voltou a falar sobre o envolvimento de milícias no assassinato da vereadora:

Foto: Reprodução
— Eu disse lá atrás, vocês devem se recordar, que tudo apontava para as milícias. Não estou dizendo que são esses especificamente, mas eu falei isso — disse Jungmann.

Os preparativos para a reprodução simulada das mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes começaram por volta das 10h desta quinta-feira. Há dezenas de militares na esquina das ruas Joaquim Palhares e João Paulo I, no Estácio, onde ocorreu o crime. Seis caminhões e um ônibus do Exército estão estacionados em uma faixa da Rua João Paulo I, causando a interdição parcial da via.

Para evitar congestionamento, agentes de trânsito atuam no local. A reconstituição está marcada para as 22h, com bloqueios em ruas do entorno a partir das 20h. A simulação será feita pela Delegacia de Homicídios da Capital, com o apoio logístico do Comando Conjunto.