Brasil

Justiça bloqueia R$ 50 milhões em contas de João de Deus

Dinheiro será usado para indenização das vítimas, caso João de Deus seja condenado pelos crimes

Agência O Globo

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) determinou o bloqueio de R$ 50 milhões das contas de João Teixeira de Faria, o médium João de Deus. O guru espiritual está preso desde 16 de dezembro, sob a acusação de abusar sexualmente de mulheres durante atendimentos no centro espiritual que ele mantém na cidade de Abadiânia, interior de Goiás. A determinação judicial foi feita na quinta-feira, dia 27. O dinheiro será usado para indenização das vítimas, caso João de Deus seja condenado pelos crimes. Ele nega todas as acusações.

A juíza Marli de Fátima de Naves, plantonista da comarca de Abadiânia, foi a autora da determinação do bloqueio dos bens do médium. A medida havia sido pedida pelos promotores de caso.

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Segundo a TV Anhanguera, o advogado de defesa, Alberto Toron, disse que ainda não recebeu informações sobre essa decisão.

MP deve apresentar 1ª denúncia nesta sexta

O Ministério Público deve denunciar João de Deus na tarde desta sexta-feira, 28, por abuso sexual de pelo menos quatro mulheres. Mas essa a acusação diz respeito apenas à fase preliminar. Promotores da força-tarefa do MP, responsáveis pela investigação, ouviram relatos sobre abusos de 78 mulheres. Outras 260 fizeram relatos de agressões sexuais por e-mail.

As alegadas violações sexuais ocorriam dentro e fora do centro de atendimento que João de Deus mantém em Abadiânia, a Casa de Dom Inácio de Loyola. Segundo relatos colhidos pelos promotores, os abusos foram cometido ao longo de décadas. Os mais recentes teriam ocorrido este ano. Alguns destes casos deverão constar da primeira denúncia. São ocorrências que, para os promotores, contêm provas mais contundentes contra o médium.

O médium está detido no Núcleo de Custódia do Completo Prisional de Aparecida de Goiânia, onde dorme sozinho, mas passa o dia em uma cela com outros quatro presos.

Pedidos de prisão domiciliar

A Justiça chegou a conceder, também na quinta-feira, 27, prisão domiciliar para João de Deus, pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. Entretanto, ele continuará preso por conta das acusações de violação sexual.

Na decisão, o juiz Wilson Safatle Faiad condicionou a prisão domiciliar a algumas condições: fiança no valor de R$ 1 milhão, uso de tornozeleira eletrônica, entrega do passaporte e não estar preso por nenhum outro crime.

A defesa pediu a soltura do médium pelos crimes sexuais ao TJ-GO e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas ambos negaram o habeas corpus em caráter liminar. Depois disso, o pedido de habeas corpus foi feito a Supremo Tribunal Federal (STF), que até o momento não manifestou decisão. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, já se posicionou contra a soltura de João de Deus.