Brasil

Loja vende camiseta 'Ronaldinho Livre' após prisão de ex-craque por documentos falsos

Marca comercializou camisa com frase e foto sorridente do ex-jogador

Agência O Globo


A prisão do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho, que foi detido na última sexta-feira por causa de documentos falsos, motivou uma loja online a vender camisas em prol do ex-atleta. Com a frase "Ronaldinho livre" e uma imagem sorridente do ex-meia do Barcelona, Milan e Flamengo, a marca "LNunes" começou a comercializar a peça por R$ 69,90.

Por enquanto, o ex-craque vai permanecer preso, já que a Justiça do Paraguai negou o pedido de prisão domiciliar para o ex-jogador e seu irmão, Roberto de Assis Moreira. Em audiência realizada na manhã desta terça-feira, no Palácio da Justiça de Assunção, o juiz Gustavo Amarilla manteve a dupla presa na Agrupácion Especializada da Policia Nacional, por uso de passaportes e documentos de identidades adulterados.

Foto: Reprodução

O magistrado alegou a falta de documentos necessários sobre a propriedade proposta como garantia pela defesa. Nenhum dos dois esteve no tribunal, apenas seus advogados no caso.

– A audiência se desenvolveu normalmente, harmoniosamente. As defesas expuseram a conveniência de que ambos os réus possam ser processados em liberdade, sem restrições. O Tribunal estabeleceu que a conduta provisória de ambos os réus é a utilização de um documento com conteúdo falso. O ato suspeito punível é pelo uso de um documento público com conteúdo falso. A medida preventiva da prisão é mantida na Associação Especializada. A justificativa é especialmente no que diz respeito ao fato de estarmos em uma causa com data de início inferior a uma semana – disse o juiz, segundo a rádio paraguaia "ABC Cardinal 730 AM".
Foto: Reprodução

O Ministério Público do Paraguai se opôs à medida de prisão domiciliar antes mesmo da decisão do magistrado e apresentou os argumentos na audiência desta terça-feira.

- O Ministério Público sustentou a sua posição de se opor à toda modificação à prisão preventiva. Se trata de uma investigação com atos que atentam contra a segurança de documentos de identidade do Paraguai. Faz cinco dias que começaram a investigação. Ainda se está estudando condutas individuais. Essas pessoas (Ronaldinho e Assis) não têm raízes - explicou o promotor Marcelo Pecci.



'Está bem, sempre sorrindo'
Ex-astro do Brasil e do Barcelona, Ronaldinho está se adaptando rapidamente à vida em uma prisão do Paraguai, disse o chefe da instalação, Blas Vera, em entrevista à "Reuters" nesta segunda-feira. O diretor afirmou que os irmãos têm camas, uma televisão e um ventilador em sua cela na prisão situada nos arredores da capital Assunção.

"Em termos gerais, ele está indo muito bem. Vejo que ele está bem disposto, do jeito que você o vê na televisão, sempre sorrindo", disse Vera.

Os irmãos usam um banheiro comunitário e têm direito de usar o pátio externo com frequência. Os advogados da dupla lhes têm proporcionado as refeições, e eles não comeram a comida oferecida pela prisão. A instalação de segurança máxima tem cerca de 195 detentos, entre eles políticos e policiais acusados de corrupção e traficantes de droga renomados.

Os prisioneiros mais perigosos estão em uma ala diferente da de Ronaldinho, explicou Vera, acrescentando que está trabalhando para que a estadia dos irmãos seja "tão confortável quanto possível".