Brasil

Mãe de menina de dois anos morta por bala perdida diz que entrou em estado de choque

A pequena Sofia brincava em na área infantil de uma lanchonete no Rio de Janeiro quando foi atingida

Redação Correio 24h

Um dia depois do sepultamento da filha Sofia, de apenas dois anos, que morta por bala perdida no Rio de Janeiro, Hérica Braga, de 33 anos, contou que ficou em estado de choque ao saber da notícia e que não conseguiu conseguia pedir socorro.

"Entrei em estado de choque. Escutava tudo o que estavam falando. Mas eu não conseguia reagir. Eu queria levantar a mão, eu queria gritar, eu queria chorar, queria pedir socorro. Eu demorei um tempo para voltar. E aí, realmente, Sofia me deixou. Ela me deixou e levou um pedaço do meu coração", lamentou Hérica Braga em entrevista ao jornal O Globo.

Hérica e o marido, o policial militar Felipe Fernandes, ainda não voltaram para casa. Eles foram até a residência e pegaram apenas documentos e álbuns de fotos. Segundo Hérica, os dois estão vivendo à base de calmantes nas casas dos país dela. 

A pequena Sofia foi baleada quando brincava na área infantil de uma lanchonete no Irajá, no Zona Norte do Rio de Janeiro. A Polícia Militar  (PM) tentava recuperar uma caminhonete roubada e entrou em confronto com o ladrão na Avenida Monsenhor Félix. Um dos disparos atingiu próximo à boca da menina, que chegou a ser levada pelos PMs ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu aos ferimentos.   

A perseguição começou por volta das 22h, após o suspeito desrespeitar a ordem de parada dos policiais militares do 41º BPM (Irajá).Thiago Rodrigues dos Santos acabou preso, após perder o controle da direção e capotar com o veículo, uma caminhonete Mitsubishi L200. No acidente, um mototaxista e um passageiro acabaram sendo atingidos pelo carro. Eles sofreram ferimentos leves e foram atendidos no local por bombeiros.

"Amigos do 16º, foi minha filha, foi minha filha. Foi uma perseguição vinda da (comunidade) Para-Pedro. Minha filha estava brincando no parquinho do Habib'bs de Irajá, e o tiro que o vagabundo deu atingiu minha filha. Ela não resistiu", disse o pai chorando.