Brasil

Marca pede desculpas por continuar desfile após modelo sofrer mal súbito na SPFW

Ocksa já havia feito um pronunciamento sobre a morte do modelo no próprio sábado

Agência O Globo

A grife Ocksa, marca pela qual desfilava o modelo Tales Cotta, que morreu no sábado após sofrer um mal súbito na São Paulo Fashion Week, pediu desculpas por ter reiniciado o desfile depois do incidente com o jovem. No comunicado, a empresa alega que "independente se tivesse sido uma queda ou desmaio, jamais deveríamos ter dado continuidade ao desfile".

A marca já havia feito um pronunciamento sobre a morte do modelo no próprio sábado, lamentando o falecimento e prestando condolências à família, mas a publicação no Instagram teve centenas de comentário críticos à decisão de não cancelar o desfile.

A Oksa alega que "tudo aconteceu muito depressa. A equipe do corpo do bombeiros agiu rapidamente e o socorreu, levando-o para fora da passarela". Segundo a equipe, eles receberam a sugestão de recomeçar o desfile e, ao fim da apresentação voltaram para o camarim e receberam a notícia de que Tales havia sido levado para o hospital ainda com vida.

"Aproximadamente uma hora depois, soubemos que, infelizmente, o Tales havia falecido. Vocês não imaginam nossa dor, tristeza quando recebemos essa notícia", explica a nota.

A mãe de Tales, Heloisa Cotta, comentou a publicação. Ela agradeceu pelo carinho e pediu que a marca não se culpe pelo ocorrido.

"Tales era profissional. Vocês não fizeram mal nenhum. No momento ninguém sabia realmente o que tinha acontecido. O certo era seguir o desfile pra não desestabilizar o restante", escreveu.

O corpo de Tales será velado e enterrado nesta segunda-feira na cidade natal do modelo, Munhuaçu, em Minas Gerais.