Brasil

Ministério Público pede a prisão do médium João de Deus

Força-tarefa do MP-GO já havia realizado 206 atendimentos a mulheres que se apresentam como vítimas

Agência O Globo

A força-tarefa do Ministério Público de Goiás (MP-GO) que investiga as denúncias de abuso sexual contra João de Deus pediu, no fim da tarde desta quarta-feira, a prisão do médium. A informação foi publicada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal "O Globo", que acrescentou que o pedido foi protocolado no fórum de Abadiânia, cidade onde João de Deus realiza atendimentos. Ainda de acordo com Lauro Jardim, o processo irá correr em segredo de Justiça.

Até a tarde desta terça-feira, a força-tarefa do MP-GO já havia realizado 206 atendimentos a mulheres que se apresentam como vítimas de João de Deus. Duas delas residem no exterior — uma nos Estados Unidos e outra na Suíça. Os promotores ainda não decidiram como serão coletados os depoimentos das denunciantes que moram fora do Brasil.

A maioria das possíveis vítimas fez contato por meio do canal criado exclusivamente para essa finalidade, o e-mail denuncias@mpgo.mp.br . Elas se identificaram como sendo de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Todas mulheres que entram em contato com a força-tarefa estão sendo orientadas a procurarem o Ministério Público de seu estado, que ficará responsável pela coleta de depoimentos. Em seguida, essas provas serão enviadas para força-tarefa do MPGO, que conta com cinco promotores de Justiça e duas psicólogas.