Brasil

Moro diz que mensagens com Deltan Dellagnol 'não têm nenhuma orientação' sobre a Lava-Jato

Ministro da Justiça está em Manaus (AM) para evento com secretários de segurança pública; ele afirmou que não pode confirmar a autenticidade das mensagens divulgadas pelo site 'The Intercept Brasil'

Agência O Globo
- Atualizada em

Em Manaus (AM), onde participa de um evento com secretários de segurança pública, o ministro da Justiça Sergio Moro disse nesta segunda-feira (10) que "não tem nenhuma orientação" nas trocas de mensagens divulgadas no domingo pelo site "The Intercept Brasil". A afirmação se refere aos diálogos entre ele e o procurador do Ministério Público Federal (MPF) Deltan Dallagnol sobre temas ligados à Operação Lava-Jato. As conversas sugerem uma suposta combinação de atuações entre os dois.

Foto: Agência Brasil


"Não tem nenhuma orientação ali naquelas mensagens. Eu nem posso dizer que são autênticas porque, veja, são coisas que aconteceram há anos atrás. Não tenho mais essas mensagens. Eu não guardo, não tenho registro disso. Agora, ali não tem orientação nenhuma", disse o ministro, de acordo com informações do portal G1.

"O que há ali é uma invasão criminosa de celulares de procuradores. Pra mim, esse é um fato bastante grave, ter havido essa invasão e divulgação. Quanto ao conteúdo, no que diz respeito à minha pessoa, não vi nada de mais", disse o ministro.



Ainda sobre o caso, Moro afirmou que considera a relação entre magistrados e procuradores, advogados e policiais é comum:

"Juízes conversam com procuradores, juízes conversam com advogados, juízes conversam com policiais. Isso é algo normal."

Questionado se chegou a orientar a força-tarefa da Lava-Jato sobre em que ordem as fases da operação deveriam ocorrer, Moro disse que, caso isso tenha acontecido, teria sido em relação a operações autorizadas por ele previamente e apenas por uma "questão de logística".

"Olha, se houve alguma coisa nesse sentido, são operações que já haviam sido autorizadas. É uma questão de logística de ser discutido com a polícia de como fazer ou não fazer. Isto é absolutamente normal."