Brasil

Morre, aos 90 anos, o médico e cientista Elsimar Coutinho

Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e tinha sido diagnosticado com covid-19

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Morreu nesta segunda-feira (17) o médico e cientista Elsimar Coutinho, aos 90 anos. Ele estava internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo (SP), após ser diagnosticado com covid-19 e apresentar um quadro de insuficiência respiratória. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do médico.

Nascido em Pojuca (BA), Elsimar formou-se em Farmácia e Medicina pela Universidade Federal da Bahia, com pós-graduação em endocrinologia na Universidade de Sorbonne (França) e no Instituto Rockfeller (EUA).  Até então, ele presidia o Centro de Pesquisas e Assistência em Reprodução Humana (Ceparh) e é diretor da Clínica Elsimar Coutinho. Em uma linha evolutiva do seu trabalho, os anos 60 foi marcado pelo desenvolvimento do primeiro anticoncepcional injetável de uso prolongado, o Depo Provera. Entre os demais métodos contraceptivos lançados por ele, estão os injetáveis, as pílulas para uso oral e vaginal e os implantes hormonais subcutâneos.

Na década de 70, sua maior contribuição ao mundo científico foi conhecida por todos - a tese de que a menstruação é nociva e supérflua. Tal constatação foi popularizada no livro intitulado Menstruação, a sangria inútil. "As mulheres podem reproduzir sem menstruar, menstruação não é uma pré-condição para a gravidez. Obrigatório para engravidar é ovular, e a mulher só precisa ovular quando quer engravidar", explicou.

Elsimar fez parte por anos do corpo docente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, onde montou, há 50 anos, a clínica que leva seu nome, localizada em um dos pontos históricos de Salvador: a Rua Chile. Atualmente, a Clínica Elsimar Coutinho está presente em outras três capitais brasileiras, onde os profissionais da equipe trazem consigo os pilares do cientista.

Livros Publicados: O Sexo do Ciúme (1998), O Descontrole da Natalidade no Brasil (1998), Menstruação: a sangria inútil (1999), Vivendo sem regras e sem TPM (2007), Bahia, menos violência, mais felicidade (2009), A Melhor Coisa da Vida (2014).

Governador declara luto no estado
O governador da Bahia, Rui Costa, decreta luto nesta terça-feira (18), pelo falecimento do médico e cientista Elsimar Coutinho, ocorrido nesta segunda (17). O governador lamentou a morte e destacou o trabalho de Elsimar, que se destacou nacional e internacionalmente na pesquisa da área de reprodução humana.

“O Brasil perdeu hoje um dos seus grandes cientistas. Uma das principais referências em reprodução humana do país, Elsimar Coutinho foi antes de tudo um homem inquieto, dedicado ao seu trabalho como médico e pesquisador, levando o nome da Bahia para todo o mundo. Para os pacientes, é a perda de um profissional brilhante e, para família e amigos, a dor da partida de um de um ente querido.  Que Deus os conforte nesse momento tão triste para todos nós. Siga em paz, dr. Elsimar!”, disse o governador.

Prefeito lamenta morte
O prefeito ACM Neto lamentou a morte do médico e cientista Elsimar Coutinho, ocorrida nesta segunda-feira (17), em São Paulo. “A Bahia e Brasil perdem um patrimônio, uma inteligência rara, com essa triste partida do professor Elsimar Coutinho, cuja contribuição para a medicina e para a ciência é reconhecida  em todo o planeta”, disse Neto.

“Perdemos um dos grandes nomes da nossa história, uma pessoa que não tinha nenhuma vaidade e que veio ao mundo para servir. Sua dedicação à humanidade o fez publicar centenas de trabalhos científicos em revistas reconhecidas pela comunidade médica internacional".

O prefeito também lembrou da amizade do cientista com a família Magalhães, especialmente com o seu avô Antonio Carlos Magalhães.

“Que Deus possa confortar a todos os seus familiares e  amigos", concluiu o prefeito ACM Neto.

Comunicado à imprensa

A assessoria do médico enviou um comunicado à impressa com informações sobre o velório. Confira na íntegra: 

É com muito pesar que informamos o falecimento do cientista, professor e médico baiano Elsimar Metzker Coutinho.

Elsimar testou positivo para o coronavírus e foi internado no Hospital Aliança no dia 20 de julho.

No dia 29 do mesmo mês, foi transferido para o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, acompanhado pelo médico Dr. Roberto Kalil.

Hoje, dia 17 de agosto de 2020, Dr. Elsimar Coutinho veio a óbito, por complicações da covid-19.

O corpo sai de São Paulo para Salvador na terça-feira, 18 de agosto, às 6h da manhã, e será cremado às 15h no Cemitério Jardim da Saudade.

Formado em Medicina e Farmácia, o pesquisador foi referência na área hormonal, com destaque para o planejamento familiar e a saúde feminina, além de ter sido pioneiro nas suas pesquisas, as quais figuram entre as 100 descobertas mais importantes da medicina moderna, de acordo com a revista Times.

As equipes da Clínica Elsimar Coutinho (CEC) seguem atendendo em Salvador, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, mantendo viva a missão do seu fundador, a partir dos especialistas que compõem o quadro clínico. Todos eles são ex-alunos e profissionais treinados pelo cientista. Além da Clínica, o Centro de Pesquisa, a Elmeco Implantes Hormonais e a Assistência em Reprodução Humana (CEPARH), que sempre motivou a trajetória do Dr Elsimar, seguirá no seu funcionamento gratuito, auxiliando as famílias que precisam de orientação e planejamento.

Polêmico e inovador, Elsimar Coutinho ganhou notoriedade internacional e usou bem a comunicação para defender e esclarecer os seus pontos de vista científicos com convicção. Ele deixa sua esposa, Tereza, com quem foi casado há 35 anos, cinco filhos, dez netos, quatro bisnetos e um legado de 90 anos dedicados à química da vida.