Brasil

Morre Casquinha, compositor da velha guarda da Portela, aos 95 anos

Causa da morte foi infecção generalizada, segundo o site oficial da Portela

Agência O Globo

Morreu, aos 95 anos, o compositor Casquinha, um dos baluartes da velha guarda da Portela. O músico estava internado há duas semanas no Hospital São Matheus, em Bangu, com um quadro de insuficiência renal. A causa da morte foi infecção generalizada, segundo o site oficial da Portela.

Foto: Divulgação

Autor de clássicos como "Recado" e "A Chuva Cai", foi gravado por grandes nomes da música brasileira. Entre eles: Paulinho da Viola, Elza Soares, Nara Leão, Jair Rodrigues, Beth Carvalho e Zeca Pagodinho.

Passou a frequentar os ensaios da Portela a convite de Candeia, de quem se tornou parceiro musical. Em 1959 escreveram juntos (ao lado ainda de Waldir 59, Altair Prego e Bubu) o samba-enredo "Brasil, Pantheon de Glórias", com o qual a Portela foi campeã na Sapucaí.

Casquinha (seu nome de batismo era Otto Enrique Trepte) era integrante da velha guarda da escola azul e branco desde o lançamento do primeiro disco do grupo em 1970.

Em 2001, gravou ainda "Casquinha da Portela", seu único disco solo. Já em 2014, teve sua obra registrada no DVD "Casquinha da Portela - O Samba Não Tem Cor". O velório será ser realizado na quadra da Portelinha (antiga sede da Portela).