Brasil

Motorista do Uber vai ser informado sobre pagamento em dinheiro e poderá cancelar corrida

Antes, o aplicativo apresentava a forma de pagamento somente quando o passageiro entrava no veículo e iniciava o trajeto

Agência O Globo
A Uber anunciou nesta sexta-feira, dia 31, que os motoristas parceiros passarão a ser informados se a corrida solicitada será paga por meio de cartão ou dinheiro, assim que aceitarem o chamado. Antes, o aplicativo apresentava a forma de pagamento somente quando o passageiro entrava no veículo e iniciava o trajeto. A empresa informou que os condutores que optarem por recusar corridas em dinheiro por motivos de segurança não serão punidos.A 99 já disponibilizava essa alternativa. No próprio aplicativo, os motoristas podem optar por escolher corridas em dinheiro e cartão de crédito ou apenas em cartão.
A nova ferramenta foi desenvolvida de forma colaborativa com os motoristas, a fim de conceder mais segurança aos condutores. Recentemente, foram introduzidas outras funções com o mesmo objetivo, como a tecnologia de machine learning, que identifica riscos com base na análise dos dados de milhões de viagens realizadas diariamente.
Luciano Marra, de 40, é motorista em aplicativos de mobilidade urbana há dois anos e comemorou:
– No 99, eu só trabalho com voucher, porque o dinheiro cai na conta! Agora, quando rodar de noite e de madrugada no Uber, também só vou aceitar cartão. É mais seguro!
Já Rogério Rodrigues, de 45 anos, que trabalha em uma gráfica e usa o aplicativo como renda extra, não acredita que a funcionalidade irá amenizar o problema da violência:
– A questão da criminalidade está em todos os lugares e em todos os segmentos. Logo, os bandidos vão descobrir como burlar. Então pra mim tanto faz!
A segurança dos usuários também foi incrementada este ano pela Uber. Em julho, o botão de Recursos de Segurança passou a permitir que o usuário ligue para um telefone de emergência em um toque ou que compartilhe sua localização em tempo real com um contato. 
No 99, passageiros e motoristas estão protegidos em suas corridas, desde o aceite até a finalização do percurso, por um seguro contra acidentes pessoais de até R$ 100 mil. A empresa ainda montou uma equipe especialmente dedicada à proteção dos usuários, composta por ex-militares, engenheiros de dados e psicólogos, que trabalha 24 horas. Além de fazer um mapeamento de áreas de risco e eviar notificação para os motoristas alertando-os, o 99 exige que todos os passageiros preencham o CPF ou o cartão de crédito antes da primeira corrida.