Brasil

Mulher com problemas mentais é estuprada e morta: 'teve a vagina dilacerada'

Oigna foi encontrada em sua casa, por uma equipe do CRAS, inconsciente com vários ferimentos e chegou a ser levada para uma unidade de saúde

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Uma mulher de 43 anos, identificada como Oigna Rodrigues da Silva, foi estuprada e, devido aos graves ferimentos provocados pelo abuso, morreu. O caso aconteceu nesta semana, em Alto Paraíso, Goiás. O corpo de Oigna passou por exames de necropsia nesta sexta-feira (18), que identificou que o órgão sexual da mulher havia sido dilacerado. As informações são do Metrópoles.  

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Goiás, mas até o momento ninguém foi preso. A vítima tinha problemas mentais. 

Oigna foi encontrada em sua casa, por uma equipe de Referência de Assistência Social (CRAS), inconsciente com vários ferimentos e chegou a ser levada para uma unidade de saúde. A equipe foi ao local porque a vítima tinha atendimento marcado com a assistente social do CRAS e não compareceu. 

Em nota ao Metrópoles, a Secretaria de Saúde Municipal informou que a vítima recebeu todos os atendimentos na unidade de saúde e, com adoção dos procedimentos e protocolos indicados às vítimas de violência sexual.

“Ela possuía sinais de agressão física no tórax, seio, e também laceração na vagina, em decorrência de uma violência sexual”, diz o documento. A mulher aguardava a transferência para um hospital em Goiânia, quando teve uma parada respiratória e faleceu.