Brasil

Mulher é presa com cerca de 2 mil pedras preciosas escondidas na calcinha

De acordo com a PRF, as pedras foram retiradas de forma ilegal da Reserva Roosevelt, região conhecida pela extração de diamantes

Agência O Globo

Uma mulher foi flagrada com cerca duas mil pedras preciosas escondidas na calcinha em Rondônia, na manhã deste sexta-feira. Ela, que não teve a identidade revelada, e o companheiro foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que abordavam motoristas na BR 364, altura do município de Vilhena, na divisa do com o estado do Mato Grosso, a cerca de 700 km de Porto Velho.

De acordo com a PRF, as pedras foram retiradas de forma ilegal da Reserva Roosevelt, região conhecida pela extração de diamantes, localizada no município de Espigão do Oeste, no sul de Rondônia.

A ação foi desencadeada depois que os agentes abordaram uma caminhonete, modelo Chevrolet S-10, na Rodovia, que seguia no sentido Cuiabá. O veículo era conduzido por um homem de 65 anos. A mulher, de 41 , também estava no carro. De acordo com a PRF, ele trabalha como pedreiro e ela é fisioterapeuta. O casal mora em Porto Velho.

Pedras preciosas encontradas em posse de casal Foto: Divulgação/Polícia Civil
Durante a abordagem, eles demonstraram nervosismo no momento em que foram abordados pelos policiais. Conforme informou a PRF, antes de serem revistados, "a mulher confessou que conduzia, sob as roupas íntimas, envelopes contendo pedras preciosas."

Foram apreendidas um total de 1.930 unidades. Aos policiais, o casal relatou que adquiriu o material na cidade de Ji-paraná, em Rondônia pelo valor de R$ 300 mil. Afirmaram ainda que o objetivo era transportar as pedras até Foz do Iguaçu, no Paraná, onde seriam negociadas.



Após o flagrante, os dois foram detidos e levados para a Delegacia da Polícia Federal. Eles, conforme ressaltou a PRF, "deverão ser enquadrados pelo crime de usurpação de matéria-prima da União". O órgão informou ainda que só após a perícia será possível definir as espécies das pedras.