Brasil

Mulher é presa por matar filha recém-nascida jogando-a contra muro

"Ela disse que estava arrependida, entrou em estado de coque e ficou sem reação. Não sabe o motivo de ter feito isso”, contou o delegado responsável por investigar o caso

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma mulher de 25 de anos foi presa no dia 25 de abril após confessar ter matado a próprio filha recém-nascido. De acordo com informações do G1 Goiás, ela colocou a bebê em uma sacola, arremessou-o contra o muro e depois jogou no terreno vizinho. O caso aconteceu em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital. O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) investigou o caso e denunciou a mulher, que deve responder por infanticídio e receber acompanhamento psicológico.

Em entrevista ao G1 Goiás, o delegado responsável pelo caso,  Henrique Berocan falou sobre a confissão da suspeita à Polícia Civil. “Ela disse que tentou arremessar a menina, mas ela bateu no muro e caiu no chão. Então, ela pegou e jogou novamente. Ela disse que estava arrependida, entrou em estado de coque e ficou sem reação. Não sabe o motivo de ter feito isso”, contou Henrique.

O crime é investigado pela equipe Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). "Vão ser analisadas todas as provas colhidas e tudo que é necessário para estabelecer a materialidade e prova do delito, em especial o estado psicológico da autora, que, segundo informações preliminares, possui problemas psiquiátricos atestados", disse o delegado ao G1.

Ainda segundo informações do G1, em seu depoimento ela contou que  estava na 41ª semana de gestação e fez seu parto sozinha. Depois de se livrar do corpo da bebê ela voltou para casa e não comentou sobre o ocorrido com ninguém. Apenas 14 horas depois, a suspeita contou para uma irmã o ocorrido.

Os familiares da jovem chegaram a levá-la para a Maternidade Marlene

Teixeira, junto com a recém-nascida (que foi transportada dentro de uma

caixa de papelão). Ela chegou ao local muito pálida e passando mal. A

maternidade constatou a morte do bebê e chamou a Polícia Civil.

A mulher já é mãe de três crianças, um tem 8 anos, outro 3 e o mais novo, 1 ano e 11 meses de vida.