Brasil

Mulher é suspeita de arrastar e tentar asfixiar filha após o parto

A mãe explicou que arrastou a recém-nascida do banheiro de casa até o quarto pelo cordão umbilical

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma mulher de 32 anos, que não teve o nome divulgado, é suspeita de tentar matar a filha após o parto. O caso aconteceu na última terça-feira (16), em Goiânia. De acordo com informações do Conselho Tutelar ao G1 Goiás, a mãe explicou que arrastou a recém-nascida do banheiro de casa até o quarto pelo cordão umbilical e, em seguida, tentou asfixiá-la.

Ainda segundo o G1 GO, ao perceber que não tinha matado a bebê ela pediu ajuda a uma vizinha, que levou as duas para uma maternidade da região. Mãe e filha continuam internadas e passam por exames.

Foto: Reprodução/Conselho Tutelar

A delegada Caroline Borges, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), investiga a possibilidade da mulher sofrer alguma alteração psiquiátrica.

“Vamos pedir exames de corpo delito da neném e da mãe. Ela também deve passar por uma avaliação psiquiátrica para saber se estava em estágio puerperal. Também vamos ver a possibilidade de ouvi-la formalmente na delegacia, quando ela tiver alta médica, ou ainda no hospital”, explicou a delegada Caroline Borges ao G1.

Ela tem mais dois filhos, um de 14 anos e outro de 3. Na hora o parto, o mais velho estava na casa de um vizinho e o de três anos estava em casa, mas não viu nada. O Conselho Tutelar avalia a possibilidade de as crianças ficarem com o pai ou outro parente enquanto a mãe é avaliada.