Brasil

Mulher fica paraplégica após ex-marido pagar R$ 18 mil para matá-la

O criminoso, o ex-marido da vítima e um intermediário que contratou a dupla foram presos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um assalto forjado pelo ex-marido que não aceitava o fim da relação, deixou a balconista Ingrid Mendonça Ribeiro, de 34 anos, paraplégica após ser baleada. De acordo com o G1 São Paulo, o disparo atingiu o ombro da vítima, atravessou a coluna e a bala ficou alojada no quadril dela. O caso aconteceu Iguape (SP).

Conforme a família da vítima, após a cirurgia para remoção da bala, a mulher foi diagnosticada com Paralisia Crucial T9. Atualmente, eles buscam ajuda para a aquisição de equipamentos de locomoção, avaliados em R$ 35 mil.

O crime ocorreu na noite de 16 de outubro, em uma farmácia no centro da cidade. Dois criminosos chegaram ao estabelecimento em um carro prata e armados, anunciaram o assalto. Após trancarem os outros funcionários nos fundos e roubarem alguns objetos, um dos ladrões disparou contra a balconista.

Ainda segundo o G1 SP, quando a balconista recobrou a consciência, ainda no hospital, contou aos policiais que o carro prata usado pela dupla de assaltantes era o mesmo veículo que ela notou que a perseguia na rua, dias antes. Com essa informação, a investigação mudou de direção e as autoridades chegaram à suspeita de tentativa de feminicídio.

Conforme a família de Ingrid, ela e o marido haviam terminado o casamento de 5 anos em setembro e o homem não aceitava o fim do relacionamento. Após o crime, os assaltante fugiram, mas acabaram capotando o carro na estrada. O motorista, autor do disparo que feriu Ingrid, morreu na hora.

O outro suspeito sobreviveu e acabou confessando que o ex-marido dela havia pagado, à vista, R$ 5 mil, e que parcelaria mais R$ 13 mil para matar a mulher. O criminoso, o ex-marido da vítima e um intermediário que contratou a dupla, foram presos e seguem à disposição da Justiça.

Tratamento

"Ela possuía sua própria casa, a própria moto, trabalhava, era independente. Vê-la hoje em dia, presa a uma cama, não é fácil", diz um parente. Por conta disso, a família decidiu criar uma campanha online para levantar a quantia de R$ 35 mil.

Com o valor arrecadado, será comprada uma cadeira motorizada com ajuste para posição ortostática, por R$ 20 mil, e um guincho para ela conseguir sair da cama para a cadeira, que custa em média R$ 8 mil.