Brasil

Mulher trans é morta após se negar a dividir lanche com sem-teto

"A vítima estava com o companheiro. Eles faziam esse trabalho em troca de comida", contou o delegado

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Nessa quinta-feira (10), uma mulher transexual, identificada como Juliana da Cruz Costa, foi morta com uma facada no peito após se negar a dividir um lanche com um sem-teto. O caso aconteceu no Sudoeste, do Distrito Federal. 

O delegado Douglas Fernandes, responsável por investigar o caso, contou ao G1 DF que Juliana, de 32 anos, também era sem-teto e trabalhava em estacionamentos da região, vigiando carros. "A vítima estava com o companheiro. Eles faziam esse trabalho em troca de comida", diz.

Juliana da Cruz Costa | Foto: TV Globo/Reprodução

Segundo o investigador, o suspeito chegou no local e se identificou como "Jubileu". Em seguida, ele discutiu com o companheiro da vítima, após Juliana se negar a dividir a refeição que fazia no momento.

"Com a negativa, o suspeito ficou com raiva e fingiu deixar o local. Ele retornou e surpreendeu a vítima com uma facada no peito. Após isso, ele correu. O companheiro da mulher tentou ir atrás dele, mas foi ameaçado e desistiu", contou Douglas ao G1. 

O caso foi registrado na 3ª Delegacia de Polícia, no Cruzeiro, como homicídio. Douglas diz que, após o crime, equipes das polícias Civil e Militar tentaram localizar o suspeito, porém, não tiveram sucesso. Testemunhas já foram ouvidas sobre o caso.