Brasil

Mulheres relatam assédio de funcionários de empresa de telefonia via Whatsapp

Jornalista afirmou ter recebido uma ligação da empresa, antes de ser adicionada sem permissão pelo representante

Redação (redacao@correio24horas.com.br)
- Atualizada em

Um grupo de mulheres denunciou serem vítimas de assédio de homens que se identificam como funcionários da empresa de telefonia NET e começam a disparar mensagens privadas para o Whatsapp de cada uma delas.Na de terça-feira (26), a jornalista Ana Prado fez uma postagem no Facebook em que afirmou ter recebido uma ligação da empresa, antes de ser adicionada sem permissão pelo representante que havia acabado de falar com ela.

"Hoje de manhã me ligaram da NET para oferecer um pacote. Disse que não estava interessada, agradeci e desliguei. Agora o cara me adicionou no Whatsapp sem permissão, me mandou estas mensagens, disse que eles têm "acesso a todos os dados dos clientes". Se recusou a deletar meu número, tá levando tudo na brincadeira e me desafio a processá-lo", escreveu.Assim que Ana publicou os prints em seu perfil, diversas mulheres relataram em comentários e em novas postagens, terem sido vítimas do assédio. Uma delas chegou a contou que recebeu o funcionário da NET em casa e que, depois de um tempo, ele voltou a tocar a campainha para saber se ela era solteira ou casada. Nas redes sociais, a NET respondeu às postagens em que foi marcada e pediu desculpas pelo ocorrido, afirmando que providências já estão sendo tomadas. Até o momento, no entanto, a empresa não se pronunciou sobre a política de sigilo de informações dos clientes.