Brasil

Nordestinos voltam a sofrer preconceito por conta das eleições

O nordeste foi a única região do país em que o candidato Fernando Haddad (PT) venceu o seu concorrente, Jair Bolsonaro (PSL)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Após o segundo turno das eleições neste domingo (28), os nordestinos, mais uma vez, voltaram a sofrer ataques preconceituosos nas redes sociais. O nordeste foi a única região do país em que o candidato Fernando Haddad (PT) venceu o seu concorrente, Jair Bolsonaro (PSL).

Quando aconteceu a vitória de Dilma Rousseff (PT) em 2010 e 2014, uma série de postagens ofensivas e com apologia à violência vieram à tona na web. Palavras e xingamentos como 'macacos', 'demônio' e 'desgraça' foram apenas alguns dos comentários de ódio feitos contra os nordestinos. 

Veja algumas publicações e saiba como denunciar abaixo:

Foto: Reprodução | Twitter
Foto: Reprodução | Facebook
Foto: Reprodução | Twitter
Foto: Reprodução | Twitter
Foto: Reprodução | Twitter

Denúncia

A ONG foi criada em 2005 com foco na defesa dos direitos humanos na internet e é operada em parceria com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. As denúncias podem ser feitas de forma anônima na página da SaferNet, apenas copiando o link da página que tem a violação. Outra alternativa é enviar a denúncia pelo site do Ministério Público Federal.

A Lei 7.716, de 1989, pune, com pena que pode chegar a cinco anos de reclusão, aquele que utiliza os meios de comunicação social, como a internet, para promover o ódio e a discriminação em razão da raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.