Brasil

‘Nós vamos ensinar nossos meninos nas escolas a levar flores para as meninas’, diz Damares

Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos afirma que ‘menina é diferente’ de meninos e volta a dizer frases polêmicas

Patrik Camporez, da Agência O Globo

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves , voltou a dizer frases polêmicas na manhã desta sexta-feira, durante evento de lançamento de uma campanha contra a violência doméstica . Segundo a ministra, os meninos vão ter que entender que as meninas são iguais em direitos e oportunidades, "mas são diferentes por serem mulheres e precisam ser amadas e respeitadas como mulher".

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
- Enquanto meninos acharem que são igual a meninas, como se pregou no passado algumas ideologias, 'já que a menina é igual, ela aguenta apanhar'. Nós vamos dizer para meninos que meninas são iguais em oportunidades e direitos, mas diferentes fisicamente, e precisam ser amadas. Nós vamos ensinar isso a nossos meninos.

A ministra defendeu a tese de que a mulher é um ser mais frágil que precisa ser protegido pelo homem, e acrescentou:
- Nós vamos ensinar nossos meninos nas escolas a levar flores para as meninas. Por que não? A abrir porta do carro para mulher, por que não? A se reverenciar para uma mulher, por que não? Nós não vamos estar colocando a mulher em condição de fragilidade, mas nós vamos elevar a mulher para o patamar de um ser especial, pleno e extraordinário. E é isso que a gente quer fazer lá na escola.

Igrejas e salões

Durante sua fala, a um público formado majoritariamente por mulheres, na sede do ministério, em Brasília, Damares pediu que pastores abram a porta da igreja para acolher mulheres vítimas de agressão.


- Precisamos encontrar soluções para tornar efetivo a punição aos agressores e abrigos para acolher as mulheres. Vamos ver onde a rede de proteção está errando. Vamos ter que rever a rede de proteção a mulher nesta nação. Ajudem a vítima nesse imenso desafio de se libertar. Abram a porta da igreja. A igreja vai ter que ser agente nessa luta. Chega de mulher chegar de olho roxo na igreja e pastor mandar voltar embora e perdoar o agressor - disse.

Dentre o pacote de ações previstos para enfrentar a violência doméstica, a ministra disse que uma das medidas vai ser capacitar funcionários de salão de beleza e estabelecimentos ligados à estética feminina se atentarem para casos de mulheres vítimas de agressão. Damares afirmou que esse tipo medida tem sido realizada com sucesso no estado do Mato Grosso, e que ela quer ampliar a ação para os demais estados do país.

- Isso envolve treinamento, capacitação e trabalho de campo. E nosso o governo tem que contribuir. A ideia é enfrentar a violência contra o público feminino. Profissionais da área da beleza treinados para orientar suas clientes. Todos os casos de agressões devem se denunciados. As depiladoras, por exemplo, conseguem identificar agressões pois são as que mais têm acesso ao corpo da mulher.

E bradou:
- Essa Nação logo logo vai ser conhecida no mundo como a Nação que se levantou contra violência contra a mulher.

Damares Alves e o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, assinaram na manhã desta sexta-feira, em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, um acordo de cooperação técnica para estabelecimento de políticas públicas de combate à violência doméstica e familiar.