Brasil

OMS recua e reconhece que assintomáticos podem transmitir coronavírus

A especialista afirmou se referia a estudos que buscavam analisar o contato de pessoas com pacientes assintomáticos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A Organização Mundial da Saúde (OMS) realizou uma transmissão nesta terça-feira (9), para esclarecer o 'mal-entendido' sobre uma declaração que a chefe do programa de emergências, Maria van Kerkhove, disse que a transmissão da do coronavírus por assintomáticos seria “rara”. De acordo com o site Veja, ela afirmou que existem casos de pessoas infectadas que não desenvolvem os sintomas, mas que esses indivíduos podem, sim, transmitir o vírus.

A especialista afirmou que na declaração dada, ela se referia a estudos específicos ainda não publicados que buscavam analisar o contato de pessoas com pacientes assintomáticos ao longo do tempo.

“É um entendimento errado afirmar que uma transmissão assintomática globalmente é muito rara. Eu estava falando sobre um subconjunto de estudos. Também fiz referência a alguns dados que ainda não foram publicados, informações que recebemos de nossos estados-membros”, disse. “Eu estava só respondendo a uma questão, não estava comunicando uma política da OMS ou algo assim”, disse a especialista.

Conforme ainda o site Veja, Maria Van Kerkhove disse que existem dúvidas sobre a transmissão da doença. Ela pontou, por exemplo, que algumas modelagens chegam a atribuir 40% das transmissão aos infectados sem sintomas.

Na transmissão, outros assuntos foram questionados sobre pessoas não manifestam os sintomas. “Estamos absolutamente convencidos de que a transmissão por casos assintomáticos está ocorrendo. A questão é saber quanto” afirmou o diretor de emergências da OMS, Michael Ryan.