Brasil

ONS chama apagão de ‘distúrbio’ e diz que não há ‘fragilidade no sistema elétrico’

Em Salvador, o metrô ficou sem funcionar

Daiane Costa, da Agência O Globo
- Atualizada em

Luiz Eduardo Barata Ferreira, diretor-geral da ONS, disse que de forma alguma o “distúrbio” ocorrido ontem, em referência ao apagão ocorrido no Norte e Nordeste e em alguns estados do Sul e Sudeste, deve significar "qualquer fragilidade no sistema elétrico". Barata participa na manhã desta quinta-feira (22) de um evento sobre energia, no Rio.

— Tenho convicção da capacidade do nosso sistema elétrico, por motivo positivo e espetacular, que é a expansão da geração e da transmissão de energia e a manutenção do consumo, provocada pela nossa economia, que agora tende a recuperar — disse na abertura do evento.

Barata informou que a ONS vai se reunir com todas as empresas de energia afetadas pelo apagão, na próxima segunda-feira, para analisar as causas da falha ocorrida ontem:

— Depois disso, em no máximo 15 dias vamos divulgar o que ocorreu e as medidas que vamos tomar para melhorar o sistema.

— Mesmo se houver uma antecipação do crescimento do consumo previsto para daqui dois anos, nós ainda confiamos na capacidade de atender a todo o consumo do país, por um lado porque os leilões de energia têm sido bem sucedidos, e há outro previsto para o próximo dia 4, e porque a transmissão, que já foi motivo de preocupação, já está bem equacionada — complementou o diretor geral da ONS.