Brasil

Padre é preso suspeito de estuprar meninos dentro de shopping

Os seguranças do estabelecimento de compras presenciaram o abuso e acionaram a polícia

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Na noite desta segunda-feira (9), um padre, identificado como Anderson Moraes Domingues, foi preso em flagrante suspeito de estuprar um menino de 14 anos e, ainda, tentar abusar de outra criança, de 13. O caso aconteceu dentro de uma shopping em Guarujá, no litoral de São Paulo.

De acordo com informações do G1 São Paulo, os seguranças do estabelecimento de compras presenciaram o abuso e acionaram a polícia. Os adolescentes contaram à polícia que estavam vendendo balas no semáforo quando o padre, de 43 anos, ofereceu um lanche para eles. As crianças aceitaram e o padre os levou até o Shopping La Plage, localizado na Praia das Pitangueiras.

O garoto de 13 anos avisou para um segurança do shopping que o suspeito havia prometido pagar um lanche em troca de favores sexuais. Com isso, a equipe de segurança passou a observar Anderson e os meninos.

Foto: reprodução / G1 SP
Conforme a polícia ao G1 SP, o sacerdote e as crianças foram para o banheiro do shopping e a equipe de seguranças os acompanhou. Pelo vão inferior da porta, eles viram duas pessoas dentro de uma das cabines. Um dos seguranças que acompanhava o caso contou que conseguiu ver o padre com a calça abaixada enquanto encostava o órgão genital nas nádegas do garoto de 14 anos, que também estava nu.

Os seguranças invadiram o banheiro e, com isso, o menino conseguiu sair pelo vão da porta.  Anderson Moraes continuou no local e os seguranças arrombaram a porta para capturá-lo. O outro garoto estava esperado do lado de fora do banheiro. Após o flagra, a polícia foi acionada e todos os envolvidos foram levados para Delegacia Sede de Guarujá.

Os adolescentes confirmaram a versão dos seguranças para a polícia e, ainda, revelaram que o padre fez sexo oral no garoto de 14 anos. Já o menor disse que o padre tocou no pênis do amigo. Anderson Moraes foi preso em flagrante por estupro e favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável e encaminhado à cadeia anexa ao 1º DP da cidade.



Em nota ao G1 São Paulo, a Diocese de Campo Limpo em São Paulo (SP) se pronunciou sobre o ocorrido. Confira nota na íntegra:

"A Diocese de Campo Limpo, por meio do seu Bispo Diocesano, comunica que serão tomadas, no âmbito eclesiástico, as medidas cabíveis segundo a legislação Canônica e que repudia qualquer tipo de comportamento em desobediência à legislação Civil, Canônica, à moral e aos bons costumes da sociedade. A Diocese de Campo Limpo prossegue comprometida em seguir as determinações da Igreja para tais casos, além de estar, através de seus membros, unida em oração pelos que sofrem".