Brasil

Padre Fabio de Mello reclama de banco na internet e é disputado por concorrentes

Postagem começou a repercutir após um seguidor recomendar que o Padre migrasse para outro banco

Agência O Globo
- Atualizada em

Nesta terça-feira (dia 21), o padre Fabio de Melo postou numa rede social uma reclamação a respeito do banco Bradesco. Há um mês, seu cartão fora bloqueado ao tentar realizar uma compra em um shopping center por suspeita de fraude. Quando pediu ajuda ao gerente de sua agência, o padre recebeu um pedido de paciência.

"Estou há um mês com um cartão de crédito do Bradesco bloqueado. Julgaram suspeito o estabelecimento da compra, uma loja de um shopping. Acabo de ser recomendado pela gerente a ter paciência. Conselho amoroso", escreveu o padre.

Foto: Reprodução | Redes sociais 

A postagem começou a repercutir após um seguidor recomendar uma migração para o Nubank, e Fábio se interessar pela sugestão. O banco virtual não perdeu tempo, respondeu com humor e mandou o passo a passo por meio de mensagem privada.

"Padre Fabio cheio de graça, venha conosco, bendita a hora que o antagonista te pediu paciência, e os clientes a nosso favor te orientaram. Seja bem-vindo à nossa familia, olha a DM", publicou o Nubank.

Foi o suficiente para ter início uma disputa pela preferência do padre. O Santander foi o primeiro a rebater, dizendo: "De conselho amoroso eu não sei, Padre. Mas de cartão de crédito, o Claudson Clebson entende. Vem pra cá, juntos e shallow now".

Em seguida, o banco virtual Inter fez sua proposta: "Padre, você já conhece a palavra do Banco Inter? Aquele que está sentado à direita do Banco Central, de onde há de acabar com as tarifas e anuidade! A relação com seu banco não precisa ser uma via sacra, então tá na hora de se juntar à nossa RevoluçãoBancária! Vem de DM".

— As redes sociais são estratégicas para o Banco Inter, que é 100% digital. Elas nos ajudam muito na aproximação e comunicação com os clientes, que estão no centro do nosso negócio. Todos os nossos perfis são muito mais do que canais de atendimento ao cliente, são ferramentas de engajamento onde ouvimos e falamos com nossos correntistas e que nos permitem criar interações que agregam valor à experiência deles e à nossa marca — afirmou a diretora de Marketing Priscila Salles.

O Sicoob convidou: “Ainda que eu ande pelo vale das taxas da morte, não temerei, pois o Padre está comigo. Vem pro Sicoob, Padre." e o Banco BS2 publicou uma foto dos funcionários com mãos em posição de reza, alegando ter um atendimento abençoado.

O Banco do Brasil tentou chamar a atenção do padre, com frase de efeito: "Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento. Dê-me a sua graça, padre."

Até o cashback Méliuz aproveitou a oportunidade para fazer propaganda do serviço oferecido: "Padre Fábio de Méliuz, mil bancos te oferecerão cartão sem tarifas, 10 mil te oferecerão cartão com pontos, mas tu não serás atingido. Só o Méliuz te dá um cartão sem mensalidade e com dinheiro de volta de verdade na sua conta. Vem pro Cartão Méliuz"

Somente depois de tantas propostas, o Bradesco se pronunciou no post: "Oi Padre. Pra gente conseguir te ajudar, preciso de alguns dados seus. Me envie seu telefone com DDD via DM. <3".

Clientes insatisfeitos com o banco também aproveitaram o espaço para reclamar. "Claro, com padre famoso, pagam de eficiente, agora no meu caso faz uma semana que não devolveram o meu dinheiro que tentei sacar. Liguei no SAC e me pediram mais 3 dias úteis", disse um.

Outra concordou e se posicionou a favor de outra instituição: "Manda o coraçãozinho pra ele e DM resolvendo tudo tb! Só com o padre né...aff! mudem todo mundo pro Nubank. É mara, atendimento incrível com todo mundo".

Não parou por aí. Até empresas de outros segmentos aproveitaram a repercussão. Entre elas, a marca de cosméticos Salon Line, o aplicativo de finanças Guia Bolso, a empresa de investimento em Bitcoin Atlas Quantum e o site Kabum.

À reportagem, o Bradesco informou que, por questão de sigilo bancário, o banco não comenta seu relacionamento com clientes.