Brasil

Pai de Cristiano Araújo processa clínica e funerária por vazamento de vídeo

Família pede indenização por danos morais, "em função dos transtornos causados pela exposição das imagens"

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Os familiares do cantor Cristiano Araújo, que morreu após um acidente de carro no dia 24 de junho, entraram na Justiça contra clinica e funerária, após vazarem imagens e vídeo do corpo do artista.

Segundo o site 'G1 Goiás', a advogada do escritório do cantor, o CA Produções Artísticas, informou que a ação foi protocolada na quarta-feira (1ª), em nome do pai do sertanejo. “Pedimos uma indenização para a família do cantor, a título de danos morais, em função dos transtornos causados pela exposição das imagens do corpo. Além do sofrimento que eles já enfrentavam, ainda tiveram que lidar com essa situação e ficaram consternados”, disse.Conforme informou o iBahia, imagens do músico foram divulgadas nas redes sociais no último dia 24, quando o corpo estava sendo preparado para o sepultamento. Em imagens, Cristiano aparece com hematomas no rosto e, em outra, com terno e pronto para o enterro. Enquanto que o vídeo mostra toda a preparação.Ao site, a clínica reafirmou que “lamenta profundamente a divulgação de imagens do corpo do cantor Cristiano Araújo e que a família e os fãs do artista tenham de passar por essa situação”.

Funcionários que vazaram o vídeo são indiciados por vazamento de imagens do corpo de Cristiano Araújo

Indiciados

Marco Antônio Ramos, 41 anos, e Márcia Valéria dos Santos, 39, são os funcionários que aparecem no vídeo do momento em que o corpo do cantor Cristiano Araújo era preparado para o sepultamento. Eles já foram indiciados pela polícia e vão responder pelo crime de vilipendiar cadáver (desrespeito ao corpo), com pena que vai de um a três anos de prisão. Em entrevista ao G1, o delegado Eli José de Oliveira, do 4º Distrito Policial de Goiânia, revelou parte do depoimento deles.Tanto Marco quanto Márcia são técnicos em tanatopraxia (procedimento de retirada dos fluídos do corpo para o enterro) e trabalhavam para a Clínica Oeste Tanatopraxia, mas já foram demitidos do local. "Nos depoimentos tanto o eles assumiram que sabiam do regimento interno da clínica em que trabalham que impede o registro de imagens dos cadáveres. Ela afirmou que já trabalhava no local há quatro anos e que o ato foi impensado", explicou o delegado.Durante o depoimento, Márcia também contou que passou o vídeo apenas para um colega do curso de enfermagem que frequenta. Essa terceira pessoa ainda será ouvida e é apontada como responsável por divulgar as imagens nas redes sociais. "A Márcia disse também que o Marco só percebeu que ela estava gravando quando já estava no meio da filmagem, mas não a impediu", revelou Oliveira para a reportagem.Acidente, resgate e morte

Cristiano e Allana faleceram na manhã da quarta-feira (24) em um acidente de carro na BR-153. O fato aconteceu por volta das 3h30, no KM 614 da BR-153. O cantor estava voltando de um show na cidade de Itumbiara no momento. Além de Cristiano e Allana, o motorista Ronaldo Miranda e o assessor Vitor Leonardo também estavam no veículo, mas sobreviveram.O cantor chegou a ser socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos. A namorada morreu no local. O motorista e o empresário estão internados no Instituto Ortopédico de Goiânia. O motorista que conduzia o carro, Ronaldo Miranda, 40, passou por teste do bafômetro que indicou que ele não consumiu bebidas alcoólicas, segundo o delegado Fabiano Jacomelis, responsável pelo caso. Um jornal goiano descreveu em detalhes o momento do acidente e do resgate de Cristiano.