Brasil

PMs revidam agressão e dão socos em pessoas envolvidas em briga de trânsito; veja vídeo

De acordo com a apuração do G1, os policias prenderam ao menos sete pessoas, entre homens e mulheres envolvidos na briga

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Uma briga de trânsito acabou resultando em uma confusão generalizada ente policiais militares e três pessoas em Carapicuíba (SP). Vídeos que viralizaram nas redes sociais mostram os PMs dando socos em um homem e duas mulheres. As informações são do G1 São Paulo

Na gravação, é possível ver que um dos policiais tenta prender um homem, acusado de desacatar e ofender um dos agentes. Antes, este mesmo homem, teria se juntado a outra pessoa para agredir o motorista do carro que bateu no veículo deles e fugiu. Eles também teria agredido a mulher deste condutor que estava grávida.

Os policiais tentam deter o rapaz, ele foge e agride um dos agentes com um soco no rosto. Em seguida, um dos PMs revidam, ele é cercado por mais policiais, consegue escapar, mas é imobilizado.

Em seguida, ele é colocado em uma viatura, uma mulher aparece e tenta impedir a passagem de um policial e diz que ele falou algo pra ela. Na sequência, a mulher dá um soco na cara do PM e ele revidou com dois murros no rosto dela.

Depois, uma jovem aparece e dá um soco no rosto do policial que agrediu a mulher. Então, o policial também dá um murro na cara dela. O caso aconteceu no dia 14 de novembro, mas os vídeos da confusão só vieram à tona nesta semana, nas redes sociais.

De acordo com a apuração do G1, os policias prenderam ao menos sete pessoas, entre homens e mulheres envolvidos na briga. Todos foram soltos em seguida. Ainda segundo a apuração do G1, os PMs entendem que agiram em legítima defesa.

A reportagem apurou que os PMs prenderam ao menos sete pessoas, entre homens e mulheres envolvidos na ocorrência. Parte do grupo foi algemada. Todos teriam sido soltos em seguida.

Em nota enviada ao G1, a Ouvidoria da Polícia de São Paulo repudiou as cenas que mostram a ação da PM.

Os vídeo serão analisados pela polícia civil e a polícia militar. Também foi aberto um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a conduta dos agentes. Não se sabe ainda se eles foram afastados.

Veja o vídeo: