Brasil

Polícia aponta Flordelis como mandante da morte do marido; ela teria tentado envenená-lo

Dentre as pessoas detidas, estavam 6 filhos e uma neta do casal

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A polícia civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro prenderam nesta segunda-feira (24) nove pessoas pelo envolvimento com o homicídio do pastor Anderson, morto com 30 tiros no dia 16 de julho de 2019. A deputada federal Flordelis foi apontada pela operação como mandante do crime, mas não foi detida pois possui foro privilegiado. As informações são do G1 Rio de Janeiro.

Segundo as investigações, a pastora planejava a morte do marido desde 2018 e motivo seria questões financeiras. Além dela, mas 11 pessoas foram indicadas pela operação, incluindo 6 filhos e uma neta do casal.

A deputada vai responder por cinco crimes: homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. Pelo envenenamento, ela responderá por tentativa de homicídio.
De acordo com o delegado da Delegacia de Homicídios de Niterói, Allan Duarte, afirmou que a deputada construiu uma 'história' para chegar ao parlamento e fundar uma igreja. A operação foi denominada 'Lucas 12'.

"A investigação demonstrou que toda aquela imagem altruísta e de decência era apenas um enredo para alcançar a posição financeira e política. Depois que ela alcançou esse objetivo principal de chegar à Câmara dos Deputados, ela colocou em prática esse plano criminoso intrafamiliar", disse.

O delegado disse ainda que a principal motivação da morte foi 'financeira'. "A gente percebeu que foram realizadas diversas tentativas de envenenamento com doses letais, e esse resultado não aconteceu antes por motivos alheios à vontade dos autores", contou.


Presos e indiciados na Operação Lucas 12:

Marzy Teixeira da Silva (filha adotiva): cooptou Lucas para matar o Pastor Anderson. Também participou dos envenenamentos;
Simone dos Santos Rodrigues (filha biológica): responsável pelos envenenamentos. Simone buscou informações sobre uso de veneno na internet;
André Luiz de Oliveira (filho adotivo): ex-marido de Simone, foi flagrado em conversas com Flordelis combinando o envenenamento;
Carlos Ubiraci Francisco Silva (filho adotivo): pastor, é citado por participação no planejamento da morte;
Adriano dos Santos (filho biológico): auxiliou no episódio da carta falsa;
Flavio dos Santos Rodrigues (filho biológico): apontado como autor dos disparos, já estava preso e teve um mandado de prisão expedido nesta segunda;
Rayane dos Santos Oliveira (neta): buscou por assassinos para as tentativas anteriores, como Lucas.
Marcos Siqueira (ex-policial): auxiliou no episódio da carta falsa e já estava preso com mais um mandado de prisão expedido nesta segunda;
Andreia Santos Maia (mulher do ex-policial): auxiliou no episódio da carta falsa.

Além desses nove, foram denunciados:
Flordelis dos Santos de Souza: por homicídio triplamente qualificado; tentativa de homicídio duplamente qualificado; associação criminosa majorada; uso de documento ideologicamente falso e falsidade ideológica;
Lucas Cezar dos Santos (filho adotivo): associação criminosa -- já estava preso;