Brasil

Polícia explica sangue em foto de PM após manifestação de professores: "É tinta"

Em protesto por direitos trabalhistas, professores foram agredidos pelo polícia em Curitiba

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Uma postagem de um policial militar nas redes sociais aumentou o clima de tensão entre a polícia e professores do Paraná. Com a legenda: "Conta outra professor", o PM Umberto Scandelari publicou foto com os braços, mãos e rosto manchados por um líquido vermelho, que seria sangue, e chamou a atenção de amigos e familiares. Porém, as manchas eram feitas com um líquido utilizado para identificar manifestantes.



Policial usou sua conta nas redes sociais para ironizar protesto dos professores

O tom de ironia foi manifestado momentos após um protesto de professores por direitos trabalhistas que deixou 180 feridos em Curitiba, na última quarta-feira e deu a entender que os professores usaram tinta para fingir os machucados. Um porta-voz da corporação rebateu as críticas sobre a atuação da polícia e afirmou que "desproporcional seria a utilização de armas letais".Nas redes sociais, usuários aproveitaram a imagem para fazer piada, já que o líquido apresentado pelo policial era da cor rosa. "Sangrou groselha?", escreveu um jovem de Uberlândia, em Minas Gerais.

Correio24horas