Brasil

Polícia identifica um suspeito do ataque à produtora Porta dos Fundos; veja foto

Identificação ocorreu por meio de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça no dia 26; o suspeito é considerado foragido e está sendo procurado

Rafael Nascimento de Souza, Alice Cravo e Saulo Pereira Guimarães, da Agência O Globo

A Polícia Civil cumpriu na manhã desta terça-feira mandados de busca e apreensão contra Eduardo Fauzi Richard Cerquise. Ele é presidente da Associação dos Guardadores de Carro São Miguel e foi identificado como um dos responsáveis pelo ataque à produtora do Porta dos Fundos ocorrido na madrugada do último dia 24. Também há um mandado de prisão contra Eduardo Fauzi pelo caso. Ele está sendo procurado e é considerado foragido.

Foto: Divulgação
Fauzi ficou conhecido em 2013 quando agrediu o então secretário de Ordem Pública Alex Costa. Ele foi condenado em fevereiro deste ano pela agressão.

Investigação do ataque à produtora

De acordo com a polícia, a identificação de Fauzi foi possível por meio de um cruzamento de informações de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça no último dia 26, e também pela pesquisa de imagens em cerca de 50 câmeras.

A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em quatro endereços ligados a Fauzi na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, no Engenho Novo, na Zona Norte, e no Centro da Cidade.


Foram apreendidos no começo da manhã R$ 119 mil em dinheiro na casa dele em um condomínio na Barra da Tijuca. Além disso também foram encontrados e apreendidos uma arma falsa, munição, camisa de entidade filosófico-política e quatro computadores.

Segundo a Polícia Civil, após atacarem a produtora de filmes, Fauzi e o bando fugiram em direção a Botafogo. Na rua Martins Ferreira, Eduardo desembarcou do carro em que estava, retirou as fitas que escondiam as placas dos veículos e os automóveis seguiram.

Em dezenas de imagens, os investigadores da 10ª DP identificaram que o homem seguiu a pé até a rua Miranda Valverde e entrou na rua Real Grandeza. Lá, ele notou a presença de uma patrulha do Botafogo Presente, se assustou e foi até a rua São Clemente. Ali, embarcou em um táxi.

Com a ajuda de um sistema de identificação, a Polícia Civil pesquisou mais de 300 placas de veículos até localizar o taxista que pegou o homem e levou até o local onde ele desembarcou no Centro da Cidade.

— Monitoramos a rota de chegada e de fuga dos veículos usados na conduta. A partir desse momento seguimos a trajetória que foi feita do veículo. No momento da conduta eles estavam encapuzados, mas pelas imagens foi possível identificar a fuga a pé de um dos participantes, e nesse momento ele não tinha mais o rosto coberto. Fizemos a rota da fuga a pé e conseguimos identificar imagens do rosto, o local onde ele usou um táxi, o motorista o reconheceu como o autor do delito. As imagens foram submetidas a exame pericial, essa perícia veio positiva, tanto nas imagens colhidas no local e contidas nos arquivos - afirmou o delegado Marco Aurélio Ribeiro, da 10ª DP.

O ataque ocorrereu após o Porta dos Fundos retratar Jesus Cristo como gay no filme "Especial de Natal Porta dos Fundos: a primeira tentação de Cristo", que estreou no dia 3 de dezembro no Netflix. No ataque, dois homens estavam no carro e outros dois na moto. Enquanto três deles atiravam os coquetéis, um quarto registrava a ação de um celular.

Até o ataque com coquetéis molotov na madrugada de sábado, a produtora Porta dos Fundos tinha sido alvo de sete ações judiciais devido ao filme.