Brasil

Polícia investiga ataque a jovem que vestia camiseta 'ele não' e foi marcada com canivete

Caso aconteceu em Porto Alegre na noite de segunda, de acordo com a vítima, que registrou ocorrência

Bernardo Mello, de Agência O Globo

Uma jovem de 19 anos, moradora de Porto Alegre, registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil em que relata ter sido agredida por três homens e marcada com um canivete, na noite de segunda-feira. A jovem, que preferiu não se identificar por temer novos ataques, disse que caminhava no bairro Cidade Baixa, na capital gaúcha, vestindo uma camiseta com os dizeres "Ele não", mote dos protestos contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), quando foi abordada de forma violenta pelos homens.

Os agressores teriam distribuído socos e usado um canivete para marcar um desenho que remete à cruz suástica , símbolo do nazismo, nas costelas da jovem.

O caso foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre. Os policiais buscam imagens de câmeras de segurança na região para tentar identificar os agressores.

O delegado Paulo Cesar Jardim, titular da delegacia, pretende ouvir a jovem agredida assim que ela tiver condições de falar.

— Se fosse alguém ligado a um grupo neonazista, faria o desenho correto — afirmou Jardim ao portal G1.

O ataque ganhou repercussão a partir de uma postagem no Facebook de Ady Ferrer, jornalista gaúcha que conversou com a vítima. Segundo o relato, a jovem, que também carregava uma bandeira LGBT na mochila, discutiu com os homens após ter sido ofendida, enquanto caminhava pela Cidade Baixa. A partir daí, dois homens seguraram a jovem enquanto um terceiro usou o canivete para ferir a jovem, que registrou a ocorrência na noite de terça.