Brasil

Polícia não encontra provas para incriminar PC Siqueira por pedofilia após perícia

Investigação foi feita através do computador, HD externo, celular, videogame e outros eletrônicos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Após o youtuber PC Siqueira ser acusado de pedofilia em 2020, uma investigação e perícia  realizada pela Superintendência da Polícia Técnico-Cientifica (SPTC), da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo através do computador, HD externo, celular, videogame e outros eletrônicos, concluiu que não foi encontrada nenhuma evidência de crime. 

Conforme o Correio, todos os relatórios concluíram que o youtuber não armazenava nem compartilhava fotos ou vídeos de conteúdos pornográficos de menores idade. Além disso, não foram também encontradas conversas com outras pessoas sobre o tema e nem buscas na internet.

Durante a investigação, foi encontrado um único documento ligado a pedofilia, achado no computador de PC, em uma conversa entre 2008 a 2011, onde ele conversava com uma mulher pelo aplicativo QQ, popular no início dos anos 2000.

Na conversa, PC conta para mulher "Na verdade, eu sou pedófilo" e "Tenho essas coisas para atrair menores de idade". A primeira frase foi escrita depois que a mulher contou que tinha uma carteira com estampa de bichos e mostrar para PC a cópia de seu RG antigo, de quando era criança.

Já a segunda frase, foi dita depois que ele  mostrou a ela o seu quarto, pela webcam. A jovem vê que há brinquedos no local e PC brinca dizendo que era uma maneira de atrair menores.

Foi identificado no computador de PC, o programa CCleaner, que apaga pesquisas de navegadores, mas segundo a perícia ele foi usado pela última vez em dezembro de 2009.