Brasil

Prepare-se para a Black Friday: confira a reputação das empresas antes de comprar

Nesta quinta e sexta-feiras, Serasa Consumidor oferece consultas grátis para CNPJ e/ou CPF de empresas ou pessoas prestadoras de serviço

Agência O Globo

A Black Friday acontece oficialmente nesta sexta-feira, dia 23 de novembro, e muita gente já vive a expectativa de compras mais em conta. Antes de sair colocando produtos no carrinho da loja virtual ou da loja física, no entanto, vale a pena conferir a reputação do vendedor, para não ter problemas com eventuais trocas necessárias ou com atrasos e cancelamentos de entregas. Confira algumas dicas:

Faça uma consulta a cadastro da Serasa
Durante dois dias (quinta e sexta-feiras, dias 22 e 23), o Serasa Consumidor, vinculado à Serasa Experian, oferece consultas grátis para CNPJ e/ou CPF de empresas ou pessoas prestadoras de serviço. As consultas, normalmente, custam R$ 35. A checagem gratuita nesses dois dias será permitida 24 horas por dia.

Basta acessar a  página , preencher um cadastro e incluir as informações sobre quem deseja consultar. O consumidor terá acesso à um relatório completo sobre problemas envolvendo o citado, como pendências comerciais e anotações negativas; ações judiciais; participações em falências; protestos; e situação junto à Receita Federal.

Histórico de queixas

Vale checar também se há um histórico de reclamações contra a loja. A página virtual  consumidor.gov.br , do Ministério da Justiça, traz informações. O  Procon-SP  informa sites de compras que devem ser evitados neste período. De 22 e 28 de novembro, a  página  também vai manter um formulário disponível para registrar queixas sobre a Black Friday.

A página da Proteste também reúne queixas de consumidores. Basta acessar o  endereço . A página também informa as empresas com a pontuação mais alta e mais baixa. O portal Reclame Aqui pode ser outra ferramenta de consulta sobre reclamações envolvendo empresas.  Acesse o site .

Nas compras on-line

Verifique se a empresa existe. O problema é mais comum do que se imagina nas compras virtuais. Dois indicativos de que uma página é verdadeira são as informações sobre o endereço físico e o número do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC). Se não puder localizar o vendedor depois, melhor não comprar. E, mesmo que haja informação disponível, teste o telefone. Confira se realmente pertence à empresa.

Quando estiver navegando num site, verifique se aparece um cadeado no canto esquerdo da barra de busca. Isso é um indicativo de que esse ambiente virtual é seguro para compras. Desconfie de sites que aceitam somente pagamentos por boleto bancário. Se houver alguma fraude, será difícil receber de volta o valor pago.

Cuidado com a marketplace

O consumidor também deve ficar atento aos marketplaces, quando grandes redes de varejo abrem suas páginas virtuais para que outros lojistas vendam seus produtos. Não confie apenas no fato de estar navegando no site de uma varejista de grande porte.

É importante o consumidor checar a reputação de quem está se comprometendo a entregar o produto. E, em caso problema, o comprador deve formalizar uma reclamação para os marketplaces, ajudando a proteger futuros compradores.